NOTÍCIAS

Piripiri e G10 Favelas distribuem cestas básicas

A entrega dos produtos aconteceu na sede da AABB. Beneficiados são cadastrados em programas sociais. 
Entrega de cestas básicas em Piripiri ( Foto: Divulgação)

O grupo G10 Favelas, com apoio da Prefeitura Municipal de Piripiri, por meio da Secretaria Municipal do Trabalho, Assistência e Desenvolvimento Social (Setas), organizou um evento no Espaço 2 da AABB de Piripiri, nesta segunda-feira (27). O objetivo foi distribuir cestas básicas e também cadastrar pessoas para os Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) com intuito de desenvolver ações sociais para determinadas comunidades.

A secretária Cínthia Rezende disse que a ONG G10 Favelas tem sempre o cuidado de vir a Piripiri ajudar a população. “Eles doaram cestas básicas para as pessoas dos Terreiros [de Umbanda], que também estão fazendo atualização cadastral do CadÚnico, e para as pessoas da Associação de Catadores de Materiais Recicláveis. É muito importante essa parceria e a Setas está aberta para ações como essa”, frisou.

Giva Pereira, coordenador do G10 Favelas, falou sobre o assunto. “Somos uma ONG paulista que atuamos em todo o país e é com enorme satisfação que estamos aqui, atendendo essas pessoas que não são vistas diretamente e hoje estamos distribuindo cestas para a Associação de Catadores e Associação de Terreiros”, explicou.

“Aqui em Piripiri é a nossa segunda vez e hoje (ontem, dia 27) viemos ajudar com essa distribuição de cestas básicas”, explicou Gervásio Lopes de Souza, piripiriense que atua no G10.

“Estamos aqui e essa parceria com o G10 é ótima. Estamos entregando essas cestas básicas para essas associações e também cadastrando no CadÚnico. Essa parceria é bem louvável e ajuda a todos”, disse Tatiana Freitas, coordenadora do CRAS II.

“Hoje em Piripiri está acontecendo esse recadastramento do CadÚnico e também estamos recebendo essas cestas. Temos muita gente dos terreiros sem o CadÚnico. Agora cadastrados, eles podem ter acesso a diversos serviços sociais”, finalizou Pai Rondinele, Coordenador Nacional do Movimento dos Terreiros.

 

Deixe uma resposta