SAÚDE

Manter a saúde mental inclui encontrar meios para enfrentar adversidades, diz psicólogo

Em 2024, a campanha Janeiro Branco completa 10 anos de existência e já mostra que alcançou um dos seus objetivos.
Janeiro Branco alerta para a saúde mental (Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil)

Metade dos brasileiros acredita que a saúde mental é, hoje, a principal pauta do país em termos de bem-estar da população. Segundo pesquisa realizada pela Ipsos, 52% mencionaram o tema como o de maior preocupação, acima do câncer, que é visto como a questão mais grave ligada à saúde por 38% dos entrevistados.

Mesmo assim, ainda existe muito equívoco quando o assunto é tratado porque muitos confundem ter saúde mental com não ter problemas ou estar livre de sofrimentos.

Manter a saúde mental não significa ficar livre de sofrimentos ou se blindar de situações difíceis. Assim explica o psicólogo da Hapvida NotreDame Intermédica, Carol Costa.  O especialista explica que a dificuldade em lidar com emoções e atribulações é uma porta aberta para depressão, ansiedade, síndrome do pânico, melancolia, dentre outras complicações.

“Nunca se falou tanto nesse assunto como nos últimos tempos, tendo em vista que passamos por uma pandemia que suscitou importantes debates sobre o tema. É importante ressaltar que saúde mental não está unicamente relacionada a coisas positivas. Ela também envolve lidar bem com as dificuldades da vida. É você estar bem, inclusive, na adversidade”, afirma, ressaltando que o grande objetivo é estar preparado para lidar melhor com as mais diversas situações.

Dicas importantes

Compreender que o cotidiano é repleto de oscilações, estabelecer limites em relação a si e ao próximo, praticar atividades prazerosas e buscar ajuda especializada destacam-se entre alternativas viáveis diante da busca por equilíbrio.

 

Deixe uma resposta