SAÚDE

FMS lança programação da campanha Janeiro Roxo, de combate a hanseníase

A Prefeitura de Teresina realizará ações educativas e de busca ativa de casos da doença nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município.
Exame para detectar a hanseníase (Foto: Divulgação/FMS)

A Fundação Municipal de Saúde (FMS), da Prefeitura de Teresina, deu início às ações do Janeiro Roxo, mês de conscientização sobre a hanseníase. A campanha, cujo lema para este ano é “Conhecer, Tratar e Acolher”, realizará ações educativas e de busca ativa de casos da doença nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município.

Durante o mês de janeiro, a FMS vai realizar diversas atividades para intensificar o diagnóstico e promover o tratamento precoce da hanseníase, incluindo tanto os contatos de casos de hanseníase como a população em geral.

“Esse evento é importante para que a população tenha mais informações sobre a doença e para que ocorra uma intensificação de busca ativa de doentes, com o tratamento oportuno e interrupção da cadeia de transmissão da mesma”, disse a enfermeira da FMS, Svetlana Coelho.

Dados parciais da FMS mostram que no ano de 2023 foram diagnosticados 195 casos novos de hanseníase na população geral de Teresina, com uma taxa de detecção de 22,5 casos/100.000 habitantes. Outro indicador que se destaca é a taxa de detecção em casos menores de 15 anos (Hanseníase Infantil), com nove casos novos, o que corresponde a uma taxa de 4,38 casos/100.000 habitantes.

“A prevalência de Hanseníase Infantil significa transmissão recente da doença por possível contato com pessoas doentes não tratadas e manutenção da endemia”, afirmou Svetlana Coelho.

Hanseníase é uma doença infecciosa, causada por uma microbactéria. É transmissível e atinge, principalmente, a pele e os nervos periféricos como mãos e pés. A transmissão ocorre pelas vias respiratórias (fala, espirro ou tosse), durante o convívio prolongado com o doente sem tratamento.

Tem como sintomas o aparecimento de manchas esbranquiçadas, avermelhadas ou acastanhadas, com diminuição e/ou perda de sensibilidade, pele seca e queda de pelos. Outros sintomas são dor, sensação de choque, fisgadas e agulhadas ao longo dos nervos dos braços e pernas; nódulos (caroços) no corpo, avermelhados e dolorosos e diminuição da força muscular das mãos e pés.

Svetlana Coelho reforça que, quanto mais cedo a doença for diagnosticada, mais eficaz será o tratamento. “É longo o espaço de tempo entre o contágio e o aparecimento dos sinais da doença. O paciente deixa de transmitir a doença para seus familiares ao iniciar o tratamento medicamentoso, que é realizado por meio de medicamentos que são dispensados gratuitamente nas 91 Unidades Básicas de Saúde da FMS”, esclarece a enfermeira.

Programação

De 5 a 19/1/2024

Treinamento e mobilização de ACS nas ações de controle da Hanseníase nas Unidades Básicas de Saúde (UBS)

18/1/2024

Oficinas de Avaliação de contatos de Hanseníase – 2ª etapa

Local: UBS Todos os Santos

Horário: de 8h às 12h

24/1/2024 e 25/1/2024

Roda de conversa com os usuários nas Unidades Básicas da área da Santa Maria da Codipi

26/1/2023 – Avaliação de contatos de Hanseníase – 2ª etapa

Local: UBS Santa Maria da Codipi

Horário: Horário: de 8h às 12h

27/1/2023 (Sábado) – Mutirão de Manchas

Horário: de 8 às 12h

Região Centro/Norte: UBS Santa Maria da Codipi

Região Sudeste: UBS Reginaldo Castro/Renascença

30/1/2024 Avaliação de contatos de Hanseníase – 2ª etapa

Local: UBS Onesima Nascimento/Arvores Verdes

Horário: 14h às 18h

31/1/2024. Avaliação de contatos de Hanseníase – 2ª etapa

Local: UBS Irmã Dulce

Horário: 8 às 12h

 

Deixe uma resposta