DESTAQUE

Mortalidade materna no Piauí cai 39% em 2023

Redução foi em relação a 2022. Os dados foram apresentados durante a primeira reunião do comitê estadual no ano de 2024.
Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa (Foto: Divulgação)

Dados preliminares do Comitê Estadual de Prevenção de Mortalidade Materno, Infantil e Fetal da Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi), apontam que o ano de 2023 apresentou uma redução de 39,3% na mortalidade materna em relação ao ano de 2022. Os números foram apresentados durante a primeira reunião do comitê estadual no ano de 2024, realizada no auditório da Nova Maternidade Dona Evangelina Rosa, na zona Leste de Teresina. Durante o encontro também foi apresentado o plano de ação do comitê para o ano vigente.

Entre as atividades previstas do comitê estão a qualificação “in loco” de profissionais que atuam nos hospitais e também na atenção primária à saúde, visita as maternidades e realização de fóruns macrorregionais, que permitirão conhecer a logística e a rede de atenção materno infantil, observando as especificidades da rede.

Na reunião, o presidente do Comitê estadual, Arimatéia Santos, destacou os resultados de redução do estado e reforçou que o trabalho agora será de fortalecer e qualificar ainda mais a rede de atenção, permitindo que o estado melhore ainda mais seus indicadores.

“Em 2023 tivemos resultados extremamente animadores, pois ao analisarmos a série histórica do Piauí foi o ano com a maior redução de morte materna, indicador de extrema importância dentro da saúde pública. Para 2024, queremos fortalecer os comitês das macrorregiões para que possamos obter dados mais fiéis da situação e, assim, traçarmos as melhores estratégias para reduzir ainda mais esse indicador”, destacou o presidente do comitê estadual.

Entre os principais focos dos comitês macrorregionais está a identificação das possíveis causas dos óbitos maternos, infantis e fetais, bem como dos pontos que precisam de melhorias dentro da rede.

“Nosso objetivo é melhorar os indicadores do estado através da qualificação de toda nossa rede, reduzindo os indicadores do estado e tornando o Piauí referência no enfrentamento a mortalidade materno, infantil e fetal”, destacou Joselma Oliveira, vice-presidente do comitê estadual de prevenção de mortalidade materna, infantil e fetal do Piauí.

 

Deixe uma resposta