EDUCAÇÃO

Oposição lança carta aberta à comunidade e defende UFPI democrática

A carta é assinada por professores da instituição que disputaram as eleições para a reitoria da Universidade Federal do Piauí.
Protesto contra a atual administração da UFPI (Foto: Divulgação)

No último dia 5 de dezembro, dois grandes grupos de oposição à atual gestão da Universidade Federal do Piauí (UFPI) se reuniram reunidos na sede da Adufpi para selar o compromisso de união e luta pela redemocratização e reconstrução da UFPI.

Na ocasião, lideranças fizeram manifestações e críticas a atual gestão que consideram antidemocrática e persecutória.

O reitor atual, Gildasio Guedes, ficou em terceiro lugar na consulta à comunidade universitária e foi nomeado por Jair Bolsonaro, ferindo o princípio democrático. No domingo (10) lançaram uma carta manifesto. Veja a íntegra:

Carta à Comunidade Universitária da UFPI

Nós somos UFPI!

É com grande esperança e convicção que nos dirigimos a todas as pessoas que compõem a Comunidade Universitária neste momento crucial de reflexão e união.

Após a recente reunião realizada em 5 de dezembro de 2023, na ADUFPI, com o intuito de pensar a UFPI que queremos, momento em que também aproveitamos para retomar a memória e o legado inspirador do Filósofo Quilombola Nêgo Bispo, sentimos a necessidade e a responsabilidade de compartilhar essa experiência coletiva de afirmação de um projeto de educação e de ciência comprometido com a reconstrução e a redemocratização da nossa amada UFPI.

Valorizando a multicampia, compreendemos a importância de cada Campus como matriz de excelência acadêmica e social, o que nos permite pautar as diversidades de feições que compõem a UFPI.

Em tempos desafiadores como os que vivemos nos últimos anos, nos deparamos com um cenário marcado pela hostilidade ao pensamento crítico. Um contexto que, como citou a filósofa Marilena Chauí, deliberadamente atenta contra o próprio ato de pensar. Há de se destacar que muitas instituições de ensino superior foram fortemente atacadas e o pensamento anticiência justificou, nos últimos tempos, a desvalorização do conhecimento e da vida.

Aqui, na UFPI, a democracia participativa, expressa pelo voto direto da comunidade acadêmica na escolha de reitor, foi subvertida pela lógica do governo Bolsonaro e por setores dentro da universidade tomados pela ânsia de poder.

Presenciamos ações de cunho intervencionista a partir da nomeação de candidatos não eleitos pela comunidade, cortes orçamentários, redução de auxílio permanência e assistência estudantil, bem como um acelerado processo de precarização do trabalho de docentes e de técnicos. Passamos a conviver com situações de assédio, de medo e de interferências de toda a ordem no ambiente acadêmico.

Diante desse panorama, optamos por unir forças, após diálogos harmoniosos e respeitosos, reconhecendo o potencial e a importância de um projeto coletivo para uma UFPI de excelência, democrática, inclusiva, inovadora e sustentável. Além do compromisso com a dimensão indissociável do ensino, pesquisa, extensão e a internacionalização de qualidade, defendemos um ambiente que respeite e promova os direitos, a diversidade, o bem-estar de todas as pessoas, livre de preconceitos e com especial atenção e cuidado com a saúde mental de nossa comunidade.

Na reunião, ressaltamos que a insegurança presente na UFPI é uma questão que demanda soluções imediatas. Acresce-se a isso o fato de que a pandemia evidenciou a essencialidade do fortalecimento das instituições de ensino e pesquisa, tal qual a urgência de inovação e de sustentabilidade alinhadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS).

Por isso, estabelecemos um pacto de reconstrução e redemocratização da UFPI e convidamos docentes, discentes e técnicos administrativos para uma jornada coletiva de ressignificação do lugar da ciência e da universidade na construção de uma sociedade mais justa. Defendemos o conhecimento, a vida, a ciência e a diversidade de ideias como pilares fundamentais para a reconstrução do sentido democrático de universidade como um processo histórico.

Assumimos este compromisso com a certeza de que somente pela colaboração e união de esforços alcançaremos uma UFPI que verdadeiramente nos represente como espaço de circulação do pensamento crítico, democrático, participativo e inclusivo. Este é um convite para sermos agentes da mudança e da reconstrução que tanto almejamos.

Por uma Universidade democrática!

André Macedo Santana

Nadir do Nascimento Nogueira

Carlos Sait

Marcos Lira

 

Deixe uma resposta