GENÉSIO JR.

O que importa é o que importa!

Era para ser só um oligarca! Lira foi importante na reforma tributária, mas também ajudou Bolsonaro, engavetando pedidos de impeachment.

Brasília (DF) – Ao longo do tempo, fica cada dia mais evidente, face as incertezas que desmontam conceitos, que o que interessa mesmo é o interessa.

Um dos homens mais importantes para o século 20 foi o britânico e conservador Winston Churchill, um aristocrático que passou a vida toda querendo limpar o nome de seu pai, que também foi um importante homem público. Não é de conhecimento geral, mas Churchill era um notório racista. Ele defendia no seu conservadorismo que o Império Britânico não deveria dar espaço para os hindus e paquistaneses, pois se os britânicos saíssem da Índia haveria um morticínio em massa.

Ele entendia que os indianos não poderiam se governar, ele menosprezou com seu racismo o grande Mahatma Gandhi, mas sabe o que importa mesmo?  É que ele foi fundamental para a “grande ilha da Bretanha” não ter sido invadida. Foi fundamental para o mundo ter se livrado do Nazismo, isso é o que importa!

Mikhail Gorbachov pode ter sido um fraco que não conseguiu reverter o desmantelamento da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, expôs o grande Estado Soviético ao ridículo, mas o que importa mesmo não é que ele enfraqueceu a “Mãe Rússia”, como diz Vladimir Putin, o que importa mesmo e que foi decisivo para a queda do Muro de Berlim, que alguns aqui no Brasil ainda acreditam de pé. O que importa é que ele permitiu a reunificação da Grande Alemanha, caiu a “cortina de ferro”.  Isso é o que importa.

Barack Obama permitiu que na chegada da “Primavera Árabe”, o que foi montado pelo imperialismo inglês, os estados do Norte da África, e que se mantinha – foi destroçado e não se colocou nada no lugar. Com seu erro estratégico permitiu o surgimento do Estado Islâmico, que gerou, em seguida, a onda de emigração para uma Europa despreparada e que está dando discurso para a extrema direita europeia, mas sabe o que importa mesmo?  É que ele salvou o capitalismo na crise de 2008. Isso é o que importa.

No Brasil, Fernando Henrique, o príncipe dos sociólogos, pode ter sido vil ao ter comprado sua reeleição, mas o que importa mesmo é que ele e seu grupo de excelentes economistas, desde Itamar Franco, montaram o mais importante plano econômico depois do Plano Marshall e nos salvou da inflação. Isso é o que importa.

Luiz Inácio Lula da Silva começou a perder seu vernil de santo quando os mestres do PT, que lhe ajudaram a chegar no poder, criaram o mensalão para comprar votos no Congresso, mas sabe o que importa mesmo?  É que ele deixou o poder em dezembro de 2010 com o Brasil reduzindo historicamente sua miséria e pobreza, crescendo 7,5% do PIB, ao tempo que ganhávamos o grau de investimento. Isso é o importa!

O deputado Arthur Lira, nascido em Maceió em 25 de junho de 1969, estava fadado a ser um membro viril das oligarquias nordestinas. Ele se elegeu deputado federal quando Lula deixava os seus dois primeiros mandatos de presidente da República. Arthur Lira foi crucial para manter no poder um presidente claramente anticivilizatório, matou no peito 153 pedidos de impeachment. Lira foi o principal artífice do “Orçamento Secreto”, uma excrescência montada em nome do municipalismo, mas sabe o que importa mesmo?  Ele foi necessário, inestimável e fundamental para a maior e mais importante reforma tributária feita durante regime democrático neste país. Isso é o que importa!

O que importa é o que importa.

Por Genésio Araújo Jr, jornalista

e-mail: politicareal@terra.com.br

 


GENÉSIO ARAÚJO JÚNIOR é jornalista e bacharel em Direito. Há mais de 20 anos atua na imprensa de Brasília, coordenador-editor do site Política Real, empresa que também é gestora dos sites Bancada do Nordeste, Bancada do Norte e Bancada Sulista.

 

Deixe uma resposta