DESTAQUE

Na abertura do Ano Judiciário, corregedor destaca avanços na Justiça do Piauí

A solenidade aconteceu na manhã desta segunda-feira, na sede do Tribunal de Justiça do Piauí.
Solenidade de abertura do Ano Judiciário no Piauí (Foto: Divulgação)

Na manhã de hoje, o Tribunal de Justiça do Piauí realizou sessão solene de abertura do Ano Judiciário, um evento marcado por discursos que ressaltaram os avanços obtidos e compromissos para o ano de 2024.

O corregedor-geral da justiça, desembargador Olímpio Galvão, destacou as principais ações realizadas em 2023, e reafirmou o compromisso em impulsionar o primeiro grau de justiça por meio do desenvolvimento contínuo de ferramentas, plataformas e painéis tecnológicos.

Em sua fala, o desembargador Olímpio Galvão enfatizou a importância de fortalecer o primeiro grau da justiça, reconhecendo que é nessa instância que as demandas da sociedade são inicialmente atendidas. O desembargador-corregedor ressaltou a implementação de ferramentas e plataformas inovadoras que visam otimizar os procedimentos judiciais e tornar a Justiça mais acessível e eficiente.

“Em 2023, foram desenvolvidos 38 projetos no âmbito do primeiro grau, dos quais 22 já estão finalizados. Tais projetos abrangem quatro campos: Tecnologia da Informação; impulsionamento judicial; de apoio a servidores, servidoras, magistrados e magistradas e na área social”, enfatizou o corregedor.

Ainda durante seu discurso, o corregedor-geral da Justiça destacou que em 2023, o primeiro grau da Justiça teve a satisfação de mais uma vez contribuir com a celeridade da justiça ao lançar o robô de informações da corregedoria.

“O RIC já tem sido procurado por 8 tribunais em todo o país, a fim de que essa tecnologia também seja implantada naqueles estados. Ainda no ano passado, foram ajuizados na justiça piauiense de primeiro grau 249.692 processos e foram julgados 258.314 processos, resultando assim no cumprimento da meta 1 do CNJ. Em 2024, já foram ajuizados 11.078 processos e julgados 11.248 processos. Continuamos assim, cumprindo a meta 1”, ressaltou.

O presidente do TJPI, desembargador Hilo de Almeida Sousa, destacou que plataformas como a JULIA e o RIC têm modificado a forma de se fazer justiça em todo o Piauí. “Estamos comemorando resultados que conquistamos ano passado e já estamos debruçados para consolidar programas e projetos de 2023 e outros mais”, disse o chefe do Judiciário piauiense.

O supervisor da Coordenadoria Estadual Judiciária da Infância e Juventude (CEJIJ), decano do TJPI, também teve participação expressiva na sessão. Ele destacou o papel fundamental da Corregedoria na implementação de importantes instrumentos que aceleraram os trabalhos da Justiça, ressaltando que, além do caráter administrativo e correicional, a atuação da Corregedoria teve impacto significativo no primeiro grau.

“Com sua atuação, a Corregedoria alavancou importantes instrumentos para acelerar os trabalhos da Justiça, apresentando significativos desenvolvimentos no primeiro grau. A CGJ-PI tem oferecido à sociedade um serviço jurisdicional cada vez mais eficiente”, afirmou o desembargador Haroldo Rehen.

Durante a solenidade de abertura do Ano Judiciário, a Corregedoria Geral da Justiça foi agraciada com certificados do Prêmio Melhores Práticas TJPI 2023.

 

Deixe uma resposta