POLÍTICA

Com Alckmin, Rafael Fonteles lança usina de hidrogênio verde no litoral

Com investimento de R$ 200 bilhões, a expectativa do governo do Piauí é atender o mercado europeu com energia limpa.

Na tarde desta sexta-feira (15), em Parnaíba, o governador Rafael Fonteles, com a presença do vice-presidente Geraldo Alckmin, lançou a pedra fundamental dos dois maiores empreendimentos de produção de hidrogênio verde do mundo. O chamado HUB de Hidrogênio verde, localizado na Zona de Processamento de Exportação (ZPE) terá investimentos na ordem de R$200 bilhões e deve abastecer o mercado europeu com energia limpa.

Além de Fonteles e Alckmin, também participaram o ministro do Desenvolvimento, Desenvolvimento, Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, o presidente da Investe Piauí, Victor Hugo Almeida, e o Diretor-Presidente da ZPE do Piauí, Álvaro Nolleto.

Durante seu discurso, Rafael reforçou o potencial do Piauí e do Nordeste como líderes na revolução de produtos da indústria verde. “Precisamos industrializar o Nordeste e o Piauí a partir das nossas vocações, e a nossa vocação chegou: é a indústria verde; não somente a produção da molécula de hidrogênio, mas para sermos realmente os maiores fabricantes do mundo inteiro de produtos verdes como fertilizantes e aço, sem utilizar combustíveis que emitem o CO2”, frisou Fonteles.

Em Parnaíba, Alckmin e Rafael Fonteles lançam pedra fundamental da usina (Foto: Divulgação)

O vice-presidente, Geraldo Alckmin corroborou com a ideia de explorar as potencialidades do Piauí nessa nova industrialização, desenvolvendo um grande complexo verde que irá desenvolver várias frentes tecnológicas. “Aqui tá o maior exemplo da nova indústria, inovadora e verde; olha o que teremos de inovação tecnológica aqui, startups, pesquisa e várias indústrias verdes como a da amônia e do hidrogênio, um grande complexo industrial verde, visando a descarbonização”, reforçou.

O presidente da Investe Piauí, Victor Hugo, destaca o potencial de geração de emprego e renda que o parque de hidrogênio vai desencadear tanto na região de Parnaíba como em todo o Piauí. “O estado do Piauí, com este projeto, vai gerar também, não somente aqui na cidade de Parnaíba, vai gerar um impacto no PIB, na economia, a geração de emprego e renda, certamente a ser expandido para todo o território do Estado numa cadeia de fornecedores que será estabelecido com essas duas empresas a serem instaladas”, destacou o presidente.

O CEO da Green Energy Park, Bart Biebuyck, destaca que o parque de hidrogênio verde instalado no Piauí é o ponto de partida para colocar o Piauí como o líder mundial na produção de combustível verde. “Este projeto é um dos mais ambiciosos e desafiadores do mundo e só será possível se fizermos isso juntos, autoridades, líderes empresariais, pesquisadores e, mais importante, o povo do Piauí; vamos nos unir em torno deste objetivo comum para fazer do Piauí um polo mundial líder em tecnologia de energia verde”, destacou.

O presidente da Solatio, Pedro Váquer, anunciou que a construção da primeira etapa, com a liberação das licenças, terá início das obras até dezembro do próximo ano. “Eu assumi ontem com o governador o compromisso que, tendo todo os licenciamentos até setembro e outubro, antes do fim do ano que vem, máximo em dezembro, começaremos as obras nesses primeiros 100 hectares de construção. Então a expectativa é no máximo a metade do 27, esta primeira fase poder estar em operação, já produzindo Hidrogênio Verde e Amónia”, disse o empresário.

As empresas responsáveis pelos dois empreendimentos são a Green Energy Park e a Solatio, que, juntas, vão gerar 20 mil empregos na região com uma produção energética de 20GW. As obras das usinas para a produção de amônia, que depois será beneficiada em hidrogênio, devem começar no final de 2024. A primeira etapa está prevista para ser concluída em 2027, seguindo as etapas seguintes até o ano de 2035.

O HUB instalado na ZPE dentro do Centro Internacional de Inovação Aberta para Hidrogênio Verde, operacionalizado pela Investe Piauí, constituído de empresas com interesse em investir na cadeia de produção energética do hidrogênio verde. O ambiente tecnológico de alto nível tem como foco a inovação aberta para pesquisa e desenvolvimento. A perspectiva é prover soluções para o mercado de Energias Renováveis.

Para concretizar a operacionalização da cadeia de amônia e hidrogênio no Piauí, o governador Rafael Fonteles visitou países da América do Norte, Ásia e Europa para captar empresas interessadas em estabelecer parcerias, além de entender a operacionalização da distribuição da produção.

O hidrogênio é uma fonte de energia e combustível proveniente da eletrólise da água, onde o hidrogênio é separado do oxigênio e posteriormente é transformado em células de combustíveis com várias aplicações na indústria e em automóveis. O hidrogênio verde se destaca por ser produzido a partir de fontes de energias limpas e renováveis, como eólica e solar. O Piauí é uma potência na geração de energia limpa, possuindo os maiores parques solares e eólicos da América Latina, o estado reúne as melhores condições para abrigar usinas de produção de hidrogênio verde.

O governo do estado visa se antecipar à busca mundial pelo combustível, uma forma dos países cumprirem o Acordo de Paris – assinado em 2015 por 195 nações do planeta, se comprometendo a adotar medidas para a redução da emissão de gases do efeito estufa. O consumo de H2V é uma das formas de atingir esse objetivo, já que sua produção não gera carbono ao meio ambiente.

CCom

 

Deixe uma resposta