Covid: Cidades piauienses estão sem atualizar registro de vacinas

De acordo com a Sesapi, municípios não estão fazendo o registro da primeira e segunda dose do reforço da vacinação.

Levantamento realizado pela Coordenação de Imunização contra a Covid-19, da Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi), aponta que municípios do Piauí não estão realizando o cadastro, das vacinas da primeira e segunda dose de reforço, no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunização (SI-PNI).

Os dados atualizados no programa são de fundamental importância para o monitoramento da imunização em todo o país e para elaboração de estratégias de combate a doença. Por isso, o cadastro deve ser feito diariamente.

“O Programa Nacional de Imunizações é responsável por reunir as informações de vacinação de todo o país. Para isso, são utilizados sistemas informatizados, que facilitam o acompanhamento por todos os gestores e com a vacinação contra a covid-19 não foi diferente”, disse o secretário da Saúde, Neris Júnior.

Segundo o documento da coordenação, as cidades de Aroeira do Itaim, Curral Novo do Piauí, Miguel Leão, Brejo do Piauí, Colônia do Piauí, São Gonçalo do Piauí e São José do Divino estão há mais de um mês sem registrar as doses do primeiro reforço no sistema.

Com relação ao registro da segunda dose do reforço, estão há mais de 30 dias sem atualizar o SI-PNI os municípios de Coivaras, Valença do Piauí, Milton Brandão, Flores do Piauí, São Luís do Piauí, Aroeiras do Itaim, Campinas do Piauí, Colônia do Piauí, Lagoinha do Piauí e Campo Grande do Piauí.

Outras 150 cidades também estão há mais de 15 dias sem atualizar os dados sobre a segunda dose do reforço. Por outro lado, 26 municípios estão com os seus dados em dia em relação ao registro da primeira dose de reforço e apenas seis estão atualizadas com os números de doses aplicadas do segundo reforço.

“Essas cidades estão com o registro de doses muito baixo, se comparado com o número da população a serem vacinadas. Analisamos os dados desde quando começou a aplicação da dose de reforço em setembro do ano passado e vimos essa baixa nos registros e quando comparamos com o vacinômetro da Sesapi os dados estão divergentes, neste último há um registro maior das vacinas aplicadas. Agora estamos solicitando aos municípios que busquem esta atualização do SI-PNI também”, destacou o superintendente da Sesapi, Herlon Guimarães.

De acordo com o Art. 1.º, da Portaria nº 69/202 do Ministério da Saúde, é obrigatório que os serviços de vacinação públicos e privados efetuem o registro das informações sobre as vacinas contra a covid-19 aplicadas, nos sistemas de informação disponibilizados pelo Ministério da Saúde. O envio das informações relacionadas a vacinação para o nível federal também está regulamentada pela resolução da Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária n.º 197, de dezembro de 2017.

 

Deixe uma resposta