A pergunta de 1 milhão de dólares!

Como vão se comportar homens e mulheres das periferias pobres das grandes cidades, ou os muito pobres dos grotões nacionais?

Brasília (DF) – A última semana de junho, o mês do fogaréu, fogos, festa e fartura (hoje, carestia) terminou melhor do que começou para Bolsonaro.

A primeira semana de julho, o mês que inaugura o segundo semestre, mês de convenções partidárias e, oficialmente, de férias no Judiciário, no Legislativo e nas escolas começa com gasolina com preços menores nas bombas, PEC das Bondades, dos Benefícios ou do Vale-tudo ( o que você achar melhor chamar) e, finalmente, a da CPI do MEC, a definir!

Um amigo bolsonarista chegou com essa:

– Agora, a gente segura essa inflação e vamos vencer esse Lula, O que você acha?

Um outro amigo petista, chegou com essa outra:

– O PT ficou louco, votou a favor disso (PEC das Bondades) no Senado? Vai engordar (sic) o Bozo. Os governadores estão tendo que tirar o ICMS, a gasolina baixa na marra quando eles (Governo Federal) é que deveriam ter segurado. Mas, ele (Bolsonaro) perde mesmo assim, não é?!

Uma amiga que não é carne, nem é peixe (nem Lula e nem Bolsonaro) veio com essa:

– O Lula fala as besteiras dele e parece que as pessoas não notam. O Bolsonaro vai ganhar com essa dos combustíveis baixarem? Eu só acho que vai ficar mais difícil para gente emplacar um dos nossos no segundo turno, o que você acha?!

Eles exigiram muito deste analista de todos os domingos! O Brasil, de fato, está exigindo muito de todos nós.

O efeito da redução do impacto inflacionário só deverá ficar mais claro em agosto, justo no mês que inicia, oficialmente, a campanha eleitoral, apesar dela estar em curso há meses. Já afirmei, aqui, a máxima de que buraco na rua é culpa de prefeito, cidade em desordem é culpa de governador e vida ruim é culpa de presidente.

As pesquisas tendem a ficar melhor para Bolsonaro, isso é certo, no médio prazo. A PEC das Bondades será votada e aprovada na Câmara, se usando “jeitinho” para votá-la, saídas regimentais. Apesar das inconstitucionalidades existentes, avalio pouco provável que uma provável ação do partido Novo contra sua validade prospere na Suprema Corte.

A CPI deve ganhar vida, sim, em agosto, também num tempo que inicia a campanha. A princípio, seria inimaginável, em ano eleitoral, mas o Brasil anda diferente, como sabemos. Indo adiante, vai expor a corrupção que se sabe claramente presente no MEC e que deverá dificultar a imagem que Bolsonaro insiste em vender de que a corrupção sé existe no petismo.

Avalio que entre as respostas que precisaria dar aos amigos perguntadores é que quase todos teriam confirmações de suas perguntas com respostas já certas. Sim, Bolsonaro tende a ganha. Sim, isso não garante que Lula vá perder. Sim, vai ficar difícil para a turma que não quer o Sapo Barbudo e o Bozo!

Tudo o mais fica na conta de uma sintonia fina que se vai fazer nas campanhas, ajustes nos Estados, especialmente nos grandes colégios eleitorais do Sudeste – onde parece que será definida a eleição presidencial

Como vão se comportar os homens e mulheres das periferias pobres das grandes cidades, ou os muito pobres dos grotões nacionais? Por incrível que pareça, eles já mostraram que pensam diferente. Pergunta de uma milhão de dólares!

Boa semana a todos.

Por Genésio Araújo Jr, jornalista

e-mail: politicareal@terra.com.br

 


GENÉSIO ARAÚJO JÚNIOR é jornalista e bacharel em Direito. Há mais de 20 anos atua na imprensa de Brasília, coordenador-editor do site Política Real, empresa que também é gestora dos sites Bancada do Nordeste, Bancada do Norte e Bancada Sulista.

 

Deixe uma resposta