Para quem tem um pouco de juízo!

Ex-ministro Milton Ribeiro é preso pela Polícia Federal. Antes disso, fala com a filha ao celular. Diálogo compromete Jair Bolsonaro.

Brasília (DF) – A semana do dia de São Pedro não vai ser fácil para o Governo Bolsonaro.

A revelação de um diálogo entre o ex-ministro da Educação, Milton Ribeiro, preso pela Operação da Polícia Federal “Acesso Livre”, mas já solto, com uma de suas filhas em que ele revela conversas com o presidente Jair Bolsonaro (PL), qual dizia pressentir, em tom temeroso, alguma medida de busca e apreensão contra seu ex-colaborador gerou uma reviravolta. Tudo por conta do caso dos pastores, que exigiam propina em ouro e na relação no MEC e que eram constantes no Palácio do Planalto.

O delegado que comandava o caso se disse impedido e com a citação do presidente da República, o caso seguiu para o Supremo Tribunal Federal. A mesma PF está em disputa interna, pois houve declaração do delegado que via benefício descabido a Ribeiro.

Ainda na quinta-feira da semana passada, o senador Randolfe Ribeiro (Rede-AP) anunciou que tinha conseguido as 27 assinaturas necessários para criar a CPI do MEC.

Além disso, o mesmo Randolfe Rodrigues, um campeão de vitórias em pedidos judiciais no Supremo Tribunal Federal, anunciou pedido de abertura de inquérito contra o Presidente da República por obstrução da Justiça.

Não há, a princípio, razões para deter que as investigações sigam adiante. O presidente Jair Bolsonaro já foi acusado de interferência na Policia Federal em sua já célebre disputa com o ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro.  O pior é que o inquérito surgido em abril de 2020 por conta de denúncia de Moro ainda está vivo.

São muitos problemas, que já se acumulam a uma agenda negativa que vem se arrastando há várias semanas.

Houve a forma indiferente com que o presidente se comportou com o desaparecimento inicial e morte confirmada do ambientalista Bruno Pereira e do jornalista Dom Phillips, o aumento da gasolina e diesel que revelava a incompetência do governo, mais uma mudança na Petrobras aliada as muitas pesquisas eleitorais que lhe eram desfavoráveis, quando o grupo de profissionais do “Centrão” davam como certa uma mudança de status na chegado do final deste junho de renovadas festas. Enfim, um turbilhão de más notícias.

Nesta semana, o senador Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) vai apresentar o relatório da PEC nº 16/2022, a  chamada “PEC do Combustíveis”, que vai permitir um subsídio de R$ 1.000,00 para os caminheiros, um vale gás mensal e uma majoração para R$ 600,00 no Auxílio Brasil. Enfim, um pacote de boas notícias para as camadas sociais mais sofridas do país com o aumento sem fim dos combustíveis.

O Governo Federal e o presidente Bolsonaro vêm tendo muitas dificuldades para associar junto à população coisas benfazejas.

Justo no momento em que se esperava dar uma largada nas ações sociais com claro objetivos eleitorais vem essa situação envolvendo o ex-ministro da Educação e o evidente racha dentro da Policia Federal, um organismo do Executivo Federal, muito benquisto pela sociedade brasileira.

Os bolsonaristas já estão tentando desqualificar o que surge. Bolsonaro busca a constante fidelizacão de seu público. Ele avalia que se levar a eleição para o segundo turno, mesmo em desvantagem, poderá contar com um fato novo. Estranho um presidente da República, no cargo, estar enfrentando tantas dificuldades em busca da reeleição. Parece evidente, a quem tem um mínimo de juízo, que ele faz mais coisas erradas que certas.

Infelizmente, hoje em dia, juízo parece algo raro!

Por Genésio Araújo Jr, jornalista

E-mail: politicareal@terra.com.br

 


GENÉSIO ARAÚJO JÚNIOR é jornalista e bacharel em Direito. Há mais de 20 anos atua na imprensa de Brasília, coordenador-editor do site Política Real, empresa que também é gestora dos sites Bancada do Nordeste, Bancada do Norte e Bancada Sulista.

 

Deixe uma resposta