Produtores do cerrado piauiense serão homenageados na Alepi

A proposição de homenagem é dos deputados Zé Santana e Henrique Pires, ambos do MDB.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja do Piauí (Aprosoja Piauí), Alzir Neto, o diretor-executivo da Associação, Rafael Maschio e o produtor Paulo Dalto, serão homenageados com título de cidadania piauiense em uma solenidade na Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). A proposição de homenagem é dos deputados Zé Santana e Henrique Pires, ambos do MDB. A solenidade está marcada para às 10h desta terça-feira (21), no plenário da Alepi.

Antes da homenagem em plenário, a partir das 8h, será realizada uma assembleia-geral dos produtores, aberta à comunidade, onde temas relacionados ao Agronegócio no Piauí serão debatidos e um relatório atualizado sobre o desenvolvimento do setor apresentado à comunidade.

Natural da Paraíba, Alzir Neto está em seu segundo mandato como presidente da Associação e é um dos maiores defensores do crescimento econômico da região do cerrado piauiense e do Piauí, através do Agronegócio. Alzir, que veio convive com o desenvolvimento do agronegócio no Piauí desde criança, já foi homenageado em Baixa Grande do Ribeiro pela Câmara Municipal com título de cidadão honorário do município. “É uma alegria grande sim. O Piauí é minha terra já faz muito tempo. Acredito, investi os melhores anos da minha vida aqui é me sinto piauiense por amor a essa terra”, afirma.

Rafael Maschio é natural da cidade de Tapejara, Rio Grande do Sul e reside no Piauí desde os 13 anos, na cidade de Bom Jesus onde a família foi se destacou pela forte contribuição para o setor. Rafael é Engenheiro Agrônomo formado pela Universidade Federal do Piauí, pós-graduado pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz. Pesquisador das potencialidades do cerrado piauiense e do desenvolvimento do Agro na região ocupa hoje a direção executiva da Aprosoja Piauí.

Começo difícil

Paulo Dalto é paranaense e é um dos precursores do plantio de soja no Piauí, mais precisamente na região de Sebastião Leal há mais de 20 anos. Construiu sua fazenda do zero, abrindo o cerrado, morou em barracões com a esposa e os quatro filhos. Hoje a Fazenda Chapadão do Céu é uma das mais promissoras da região e tem expertise do plantio no cerrado piauiense sendo repassada para outras gerações de produtores. “Uma homenagem que me deixou muito feliz. O Piauí é minha terra desde quando abracei esse desafio de ser um desbravador da agricultura aqui e enfrentei todas as adversidades. É gratificante”, lembra o produtor.

 

Deixe uma resposta