Música “A Cor da Dor” aborda o racismo e negritudes

A canção interpretada pela soprano Gislene Danielle e pelo pianista Cássio Carvalho já está disponível em todas as plataformas digitais.
Gislene Danielle com o pianista Cássio Carvalho (Foto: Raynara de Castro)

“A Cor da Dor” é um ciclo de canções eruditas que foi construído pelo cantor e compositor Lucas Coimbra, com composições que abordam a temática do racismo, ou melhor, de como Lucas Coimbra percebe e vivencia o racismo dentro da sociedade.

“A Cor da Dor” é interpretada pela soprano Gislene Danielle e pelo pianista Cássio Carvalho, e já está disponível em todas as plataformas digitais, assim como a apresentação ao vivo no YouTube da Geleia Total.

O trabalho possui quatro músicas: “O peso”, “Esquecidos”, “Oti” e “Oração”. Segundo o compositor, o projeto tem um objetivo de fomentar música erudita feita por compositores e intérpretes negros, além de estimular a produção dos novos compositores, enfatizando os compositores negros para a ocupação desses espaços dentro da seara musical que é tão carente de corpos negros.

Gislene Danielle frisa que ao ter contato com as letras percebeu a sensibilidade do compositor tratando de um tema denso. Ela destaca ainda como a escolha de Cássio foi essencial para a construção do trabalho.

“Eu interpretei aquelas canções como alguém que está defendendo, até como se fosse um ser sobrenatural, uma deusa, uma vingadora, alguém que está ali clamando, falando, que está ali tentando acordar com veemência as pessoas que escutam aquelas canções. Então eu considerei uma experiência muito interessante, muito rica, e fiquei muito feliz do Lucas me chamar para gravar… Só mesmo estudar as músicas, cantar as músicas me deixou bem feliz como artista”, completou.

A estética do EP foi pensada para transmitir a urbanidade com o foco nas periferias, pois a intenção do autor foi justamente descentralizar a produção musical e dialogar com o público das periferias.

“A Cor da Dor foi um pedido do Sesc que estava homenageando compositores negros da música erudita e ele (Lucas Coimbra) fez essa peça com a formação de piano, tímpano e voz. E apresentamos em 2019 pela primeira vez. E pra mim foi uma ótima experiência pelo fato de acessarmos outros compositores eruditos, pois estamos acostumados só com compositor europeu sendo que no Brasil tem muito compositor negro de música erudita que a gente não conhece e está no catálogo do Sesc de música erudita”, disse o pianista Cássio Carvalho.

“A Cor da Dor” já nasce com muita personalidade, demonstrando a maturidade de Lucas Coimbra como artista e muito da sua identidade, além do valor social que a produção do EP traz para a cultura piauiense.

Ficha técnica

Produção executiva: João Paulo Araújo e Lucas Coimbra

Direção artística: Lucas Coimbra

Captação, mixagem e masterização: Igor Barreto

Compositor: Lucas Coimbra

Intérprete: Gislene Danielle

Pianista: Cássio Carvalho

Styling e Figurino: Sara de Paula e Lopes Neto

Confecção de figurino: L’Hosana Tavares e Jacirene Maria Batista

Maquiagem: Yohana Carvalho

Cabelo: Ângela Sousa

Designer: Cola da Preta

 

Deixe uma resposta