Prefeitura de São Luís tem plano de preservação do Centro Histórico

O evento conta com a participação de representantes de cidades históricas e patrimônio mundial.
Perfeito de São Luís, Eduardo Braide, na abertura do evento (Foto: Divulgação)

Até o sábado (11), São Luís sedia o 8° Encontro Brasileiro das Cidades Históricas, Turísticas e Patrimônio Mundial. O evento acontece no Complexo Fábrica Santa Amélia, no Centro, e tem como tema “Turismo, a riqueza do Brasil no cenário pós-pandemia: o Patrimônio Cultural e Natural como ativo para o desenvolvimento”.

Durante a abertura do evento, na quinta-feira (9), o prefeito Eduardo Braide apresentou as ações de sua gestão para a preservação do Centro Histórico de São Luís, cidade reconhecida pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) como Patrimônio Cultural Mundial desde 1997.

“Deste encontro sairá um documento muito importante, a Carta de São Luís 2021, com propostas de ações e políticas públicas para preservar o patrimônio e fazer dele fonte de geração de emprego e renda”, garantiu o prefeito Eduardo Braide.

O presidente da OCBPM, Mário Ribas, informou que o encontro está voltando a São Luís com uma nova perspectiva.

“Os debates deste encontro acontecem após a aprovação pelo Tribunal de Contas da União do Acórdão nº 3.155/2017, que recomendou ao Governo Federal a elaboração do Plano Nacional de Gestão Política do Patrimônio Mundial do Brasil. Isso significa que o governo precisa implantar ações concretas para a preservação do patrimônio natural, cultural, imaterial e da humanidade e com isso, promover o desenvolvimento do turismo nessas cidades, gerando emprego e renda”, informou.

Preservação do Patrimônio

Durante o encontro, o prefeito Eduardo Braide apresentou as ações que vem desenvolvendo desde o início de sua gestão, em janeiro deste ano, para manutenção e preservação do patrimônio. Um dos destaques da sua fala foi o programa Centro Acessível, por meio do qual estão sendo executadas diversas intervenções para proporcionar mais segurança e conforto às pessoas com deficiência, sejam turistas ou moradores da cidade, que frequentam o sítio histórico ludovicense.

A requalificação da Rua do Giz, eleita uma das seis ruas mais bonitas do Brasil, também foi citada pelo gestor municipal. As obras foram entregues dia 8 de setembro deste ano, quando a cidade comemorou 409 anos de fundação. A Fonte do Ribeirão, que também foi totalmente recuperada, foi outro exemplo dado pelo prefeito.

O prefeito Eduardo Braide citou ainda a parceria firmada entre a Prefeitura de São Luís e a Equatorial Maranhão para a requalificação das ruas do Sol e da Paz; e a restauração da fachada do Mercado das Tulhas, que está sendo realizada por meio do programa Canteiro Escola, executado em parceria com diversas instituições e a iniciativa privada para capacitar profissionais para trabalhar nas obras de restauro e preservação realizadas no Centro Histórico.

A recuperação do antigo prédio do BEM, na Rua do Egito; e a requalificação da Galeria Santo Ângelo também estão entre as ações que estão sendo executadas para a recuperação e preservação do patrimônio histórico da capital.

Cidade Patrimônio

A coordenadora do Setor de Cultura da Unesco no Brasil, Isabel de Paula, que veio ao evento representando a diretora do Escritório da Unesco em Brasília e representante da Unesco no Brasil, Marlova Jovchelovitch Noleto, destacou os títulos de São Luís.

“São Luís têm títulos de patrimônio da maior importância. Além do título de Patrimônio Cultural Mundial, que recebeu pelo valor do seu sítio arquitetônico, a cidade tem ainda o título de Patrimônio Imaterial da Humanidade. Claro que este é um título não da cidade, mas do Bumba-Meu-Boi, uma das principais manifestações culturais do estado, mas São Luís, por ser a capital, acaba sendo a grande vitrine. De modo que São Luís representa uma diversidade cultural magnífica. Por isso, estou muito feliz de estar participando deste encontro nessa cidade. Tenho a certeza que será um encontro muito produtivo”, afirmou.

A presidente da Fumph, Kátia Bogéa, destacou a excepcionalidade do Centro Histórico de São Luís. “Nós temos a responsabilidade perante o mundo inteiro de conservar o nosso Centro Histórico, que tem um valor excepcional pelo seu traçado urbano espanhol, sua construção portuguesa e a influência dos diversos povos – europeus, indígenas, africanos entre outros – na formação do nosso patrimônio imaterial. Durante este encontro vamos discutir possibilidades criativas para a manutenção destes patrimônios em São Luís e todas as cidades que estão aqui por meio de políticas públicas concretas e parcerias com a iniciativa privada”, disse.

Carta São Luís 2021

No primeiro dia do evento, o prefeito Eduardo Braide e demais representantes das cidades que fazem parte a OCBPM reuniram-se para debater a formatação da Carta de São Luís 2021, documento que será gerado ao longo do encontro e reunirá as reivindicações das cidades para a preservação dos patrimônios mundiais, naturais, culturais e imateriais.

Entre as sugestões apresentadas pelo prefeito Eduardo Braide estão a criação de mecanismos que garantam que as ações de preservação dos patrimônios sejam encaradas como políticas de estado e não de governo e o comprometimento do Congresso Nacional em debater e aprovar a criação de um fundo que garanta os recursos necessários para a implantação destas políticas.

O documento terá cerca de 30 propostas que serão encaminhadas aos governos municipais, estaduais e federal, além de entregue ao Congresso Nacional para que sejam feitos os debates necessários para a garantia das políticas públicas voltadas para o setor.

 

Deixe uma resposta