Piauí mantém intervalo de cinco meses para reforço da vacina

Anvisa diz não saber se os benefícios superam os riscos para o reforço da vacinação quatro meses após segunda dose.

O governo do Piauí decidiu manter o prazo de cinco meses de intervalo para a dose de reforço da vacina contra a covid-19, atendendo parecer da Anvisa. A agência reguladora também já repassou orientações para que o governo de São Paulo reavaliasse a mesma decisão de antecipar a dose.

De acordo com a Anvisa, existem poucos dados sobre a aplicação da dose extra, mas eles costumam indicar intervalo de seis meses. O Ministério da Saúde, no entanto, estabelece o prazo de cinco meses.

Na nota, a agência diz não saber se os benefícios superam os riscos para o uso de reforço no intervalo de quatro meses para todos os adultos com 18 anos ou mais, independentemente da vacina ofertada e do esquema vacinal primário.

De acordo com o secretário estadual da Saúde, Florentino Neto, o Piauí sempre priorizou a ciência e vai continuar seguindo assim. “A nota da Anvisa estimulou para que nós pudéssemos manter o prazo que já estava estabelecido anteriormente”, diz o secretário.

 

Deixe uma resposta