Brasil fechará fronteiras para 6 países da África contra covid-19

O ministro-chefe da Casa Civil informou sobre a decisão em postagem nas redes sociais, nesta sexta-feira.

Em publicação feita nas suas redes sociais, o ministro-chefe da Casa Civil da Presidência da República, Ciro Nogueira (PP-PI), disse que o “Brasil fechará as fronteiras aéreas para seis países da África em virtude da nova variente do coronavírus”.

Com essa medida, o governo segue orientação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que recomenda restrições para passageiros procedentes da África do Sul, de Botsuana, de Eswatini, do Lesoto, da Namíbia e do Zimbábue. O país não recebe voos diretos destes países.

Horas antes da postagem do ministro no Twitter e no Instagram, o presidente Jair Bolsonaro havia dito que não acataria a orientação do órgão.

Segundo o ministro, a portaria sobre o fechamento das fronteiras aéreas será publicada neste sábado (27) e “deverá vigorar a partir de segunda-feira”. Ele afirma que o objetivo é “resguardar os brasileiros nessa nova fase da pandemia naquele país”.

Ciro Nogueira informou ainda que a decisão foi tomada em conjunto pela Casa Civil e os ministérios da Infraestrutura, Justiça e da Saúde.

Nota técnica da Anvisa

A Anvisa publicou nesta sexta-feira uma nota técnica em que recomenda ao governo brasileiro medidas de restrição para viajantes procedentes da seis países da África diante do registro de uma nova variante do Sars-CoV-2 identificada como B.1.1.529.

“A Anvisa recomenda a restrição de entrada de viajantes com essas procedências por qualquer meio de transporte (aéreo, rodoviário ou aquaviário)”, diz a nota técnica.

Segundo a agência, deve haver a suspensão, em caráter temporário, da autorização de desembarque no Brasil de viajante estrangeiro com passagem pelos seis países africanos nos últimos 14 dias.

Outra recomendação é a quarentena, logo após o desembarque no Brasil, para viajantes brasileiros e seus acompanhantes legais com origem ou histórico de passagem pelos seis países nos últimos 14 dias antes da entrada no país.

Da Redação, com informações da Agência Brasil

 

Deixe uma resposta