Musculação oferece baixo risco para o coração

O parâmetro cardiovascular é uma variável muito importante de ser controlado durante a prática do exercício. Muito cuidado com idosos.

Uma resposta fisiológica normal com a prática do exercício físico é alteração do sistema cardiovascular, alterando principalmente a frequência cardíaca e a pressão arterial. Tais alterações não devem chegar a um nível que coloque em risco a integridade física das pessoas.

O parâmetro cardiovascular é uma variável muito importante de ser controlado durante a prática do exercício. Por exemplo, se um idoso já estiver com a pressão alta, não recomendável fazer o exercício físico.

Dependendo do tipo de atividade física o comportamento de frequência cardíaca e pressão arterial varia bastante.

A prática da atividade física pode ser controlada através da alteração do VOLUME ou INTENSIDADE de sua prática. Para exemplificar, vamos analisar a musculação. Quando aumentamos o peso de um exercício, estamos priorizando a intensidade; já quando aumentamos o número de repetições, a ênfase é no volume.

As evidências científicas mostram que as variações dos marcadores cardiovasculares, frequência cardíaca e pressão arterial, são menores quando a ênfase da atividade física é dada à INTENSIDADE.

Isso quer dizer que para um cliente de risco como um idoso, é mais seguro trabalhar com mais peso e menos repetições. É exatamente o contrário do que normalmente as pessoas pensam.

Falando de outra forma; comparando a musculação pesada com a caminhada, o risco de infarto é maior na caminhada. Pois o volume da caminhada, provoca maiores alterações de frequência cardíaca e pressão arterial, do que uma musculação pesada.

Desta forma, a musculação além de ser mais segura, é também a mais indicada, pois a principal qualidade física na vida do idoso é a FORÇA MUSCULAR.

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.

 

Deixe uma resposta