Taxa de bebês prematuros no Piauí chega a 11,1%

Em 2020 nasceram 4.890 bebês entre 22 e 36 semanas de gestação no estado, segundo dados da Secretaria da Saúde.
No Brasil, a taxa de nascimento de bebês prematuros é de 11,5% (Foto: Divulgação)

Novembro é considerado o mês internacional de sensibilização para a prematuridade e o objetivo é alertar sobre o crescente número de partos prematuros, como preveni-los, e informar a respeito das consequências do nascimento antecipado para o bebê, para sua família e para a sociedade.

A campanha do “Novembro Roxo” acontece durante todo o mês, mas concentra suas ações, principalmente, no dia 17, Dia Mundial da Prematuridade. O roxo é a cor símbolo da causa da prematuridade, que simboliza a sensibilidade e a individualidade, características que são muito peculiares aos bebês prematuros.

Neste ano, o foco é a separação zero entre mãe e bebê prematuro, ou seja, permitir que a mãe tenha condições de ficar internada para acompanhar o filho prematuro o tempo todo e que o pai também tenha livre acesso.

Neste mês estão previstas diversas ações do Novembro Roxo na Maternidade Dona Evangelina Rosa (MDER). As atividades iniciam nesta quarta-feira (10) e seguem até 24 de novembro, com palestras, roda de conversa sobre temas relacionados à prematuridade com a participação de mães de bebês internados nas Unidades da UCINCA, dinâmica com pais de bebês prematuros, distribuição de material informativo e apresentação de vídeos com depoimentos de mães de prematuros, além de palestra sobre o método Canguru.

Dados

A Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi) alerta para o número de prematuros nascidos no Piauí. De acordo com dados da secretaria, enquanto o Brasil está com a média de prematuridade de 11,5%, no Piauí a média é de 11,1%. Em 2020 nasceram 4.890 bebês com menos de 22 semanas a 36 semanas.

“Um pré-natal de qualidade é importante para a redução da prematuridade. Assim a Sesapi vem ampliando e planejamento ações de conscientização sobre a importância de um pré-natal bem acompanhado”, pontua Florentino Neto, secretário Estadual da Saúde. Na avaliação dele, o aumento da cobertura da Atenção Primária à Saúde nas regiões vulneráveis é um forte aliado. “A parceria com os hospitais municipais tem como objetivo aumentar o acesso as gestantes, qualificar o planejamento reprodutivo e o pré-natal, o que terá efeito direto nos índices de prematuridade”, destaca.

Prematuridade e o Banco de Leite Humano

De acordo com Vanessa Paz, coordenadora do Banco de Leite Estadual, os bebês prematuros são os principais receptores dos Bancos de Leite Humano do Piauí, pois muitas vezes a mãe teve um problema de saúde que levou à prematuridade e, inicialmente, não consegue alimentar o filho.

Outro ponto bastante considerável é o fato de que a vida de mãe de UTI não é fácil. “Às vezes ela pode não conseguir produzir o volume necessário de leite para seu bebê quando ele aumenta a dieta. É importante lembrar que oferecemos leite humano pasteurizado para todos os bebês internados nas unidades neonatais e, por isso, a nossa demanda é tão grande”, conta a coordenadora.

O Banco de Leite possui uma demanda de 3,2 litros diária. Atualmente o Banco de Leite recebe em média 5,2 litros por dia de doações. O ideal é que se mantenha uma coleta diária regular de 10 litros.

Doação

“A doação é um gesto solidário e ajuda a salvar vidas diariamente. O leite humano é o melhor alimento para qualquer criança e fundamental para os bebês que estão internados nas UTIs neonatais, precisando do alimento. Ele traz nutrientes para o crescimento e desenvolvimento, além de auxiliar no processo de defesa imunológica das crianças”, ressalta Vanessa Paz.

Toda mulher que está amamentando pode ser voluntária e ajudar a salvar a vida de vários recém-nascidos. Para se tornar doadora, basta ligar para o telefone WhatsApp (86) 99498-5120 / 0800 280 2522 ou 3228-2022. Depois disso, as equipes do Banco de Leite Humano entrarão em contato para agendar a visita.

 

Deixe uma resposta