Mulheres do Serviço Florescer participam de projeto nacional de cinema

Realizado há vinte anos em todas as capitais brasileiras, em 2021 foi executado em modelo híbrido.
Mulheres atendidas pelo Projeto Florescer (Foto: Ascom/SMPM)

O debate sobre as condições de desigualdades de gênero ainda acontece na nossa sociedade de forma pouco didática. Essa situação, por muitas vezes, é o que provoca o pouco acesso e conhecimento dos serviços e direitos destinados para mulheres em todo o Brasil. Pensando nisso, a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM) de Teresina, através do Instituto Cultura em Movimento (ICEM), realizou nesta terça-feira (9) uma sessão de cinema com as mulheres atendidas pelo Serviço Florescer, localizado no Povoado Salobro, zona rural da capital.

O documentário escolhido para as mulheres chama-se “Carne”. Apresentado em uma animação, ele apresenta diferentes fases da vida das mulheres narradas através de vozes femininas, representando suas experiências distintas.  Após a exibição, foi realizado uma roda de conversas com as mulheres que participaram da sessão sobre o documentário e o papel da mulher na sociedade

Para a titular da SMPM, Karla Berger, a escolha do projeto em contemplar o Serviço Florescer proporciona que as mulheres atendidas estejam cada vez mais incluídas nas discussões sobre o gênero feminino. Isso porque, o público atendido pelo serviço é compreendido por mulheres que vivenciam duplas e triplas jornadas – maternidade, profissão, atividades domésticas, estudo.

“Com isso, muitas mulheres quase não têm tempo para estar dentro das discussões que permeiam as suas próprias existências”, analisa. “São atividades e parcerias como essas que podem trazer elas para dentro, aguçar o conhecimento sobre seus direitos, provocar o verdadeiro empoderamento feminino”, conclui a secretária.

Geisiele Pereira, uma das mulheres atendidas, relata que ficou bastante emocionada durante a sessão. Ela conta que se identificou com os relatos descritos no documentário e frisou a necessidade de se emponderar enquanto mulher para poder ser respeitada. Além disso, pontuou a existência de serviços como o Florescer, que fortalecem o compromisso de garantir o acesso à informação dos seus direitos, saúde, lazer e acolhimento.

“É impossível não se emocionar quando a gente percebe que todas as mulheres têm histórias parecidas por conta do machismo”, conta Geisiele. “Desde que entrei no serviço tenho reconhecido cada vez mais a importância do empoderamento feminino, de ser dona da minha própria voz”, destaca a mulher.

Realizado há vinte anos em todas as capitais brasileiras, em 2021 foi executado em modelo híbrido – virtual, através do instagram da agente mobilizadora do Piauí, Vitória Pilar, e presenciais. Nesta edição, o projeto se chamou “Cinema nas Redes” e trouxe o debate da violência de gênero, empoderamento feminino e direitos da mulher.

Cinema em Movimento

A Mostra de Cinema é realizada no período de agosto a novembro com a temática Mulher. O projeto é executado pela MPC Filmes, com produção de estudantes universitários dos 26 estados brasileiros e do Distrito Federal. Cada estudante realizará 8 live-debates em seus perfis no Instagram, e terá como convidadas/os/es realizadoras/es dos filmes e especialistas na temática proposta. Algumas sessões também estão previstas para acontecer de forma presencial.

Entre os títulos selecionados estão “Mexeu com uma, mexeu com todas”, que reúne depoimentos de mulheres que sofreram abuso sexual, além dos curtas “Seremos Ouvidas”, com mulheres do Movimento Feminista Surdo, e da animação “Carne”. Entre os agentes mobilizadores, estão estudantes dos cursos de Direito, Antropologia, Jornalismo, Letras, História, Música e Ciências Sociais.

No Piauí, o projeto é coordenado pela estudante de jornalismo da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), Vitória Pilar. Frente à execução das atividades no estado desde 2019, a jovem destaca que as ações promovidas pelo ICEM colocam o Piauí em uma importante rota de debates sobre temas sociais e democratiza o acesso de mais pessoas às obras em audiovisual produzidas no Brasil.

 

Deixe uma resposta