Revitalização da Igreja do Desterro ficará pronta em dezembro

Localizado no Centro Histórico de São Luís, o templo religioso não passava por restauração há mais de uma década.
Igreja do Desterro está sendo restaurada (Foto: Brunno Carvalho)

Iniciadas em setembro passado, as obras de revitalização da Igreja de São José do Desterro, no Centro Histórico de São Luís, serão concluídas em dezembro deste ano, quando o espaço será entregue revitalizado à população, sobretudo aos moradores do bairro do Desterro, que usam a igreja para atividades religiosas e comunitárias. O imóvel não passava por restauração há mais de uma década.

“A gente vem lutando, há muito tempo, pela reforma dessa igreja que é nosso espaço”, afirma a artesã Conceição Maria Dutra, uma das mais antigas moradoras do Desterro que, todo fim de ano, monta um presépio de Natal em sua casa e a igreja serve como suporte. “Muito bom para todos nós que o trabalho começou e vai ficar bonito”, completa.

O secretário estadual da Cultura e coordenador do programa Nosso Centro, Anderson Lindoso, destacou as obras. “O governador Flávio Dino autorizou a reforma da Igreja do Desterro para que a gente possa ocupar esses espaços importantes para a cultura local. Os prédios importantes do Centro Histórico de São Luís merecem essa atenção especial”, ressaltou.

A igreja do Desterro está vinculada à paroquia de Nossa Senhora da Vitória (na Igreja da Sé). O padre Roney Carvalho comemora a reforma e destaca a relevância do espaço para os moradores da área. “Além de antiga e importante como patrimônio cultural, é um espaço comunitário”. As missas, que acontecem às quarta-feira, às 19h, e no domingo, às 7h, foram suspensas por causa das obras, mas serão retomadas em dezembro. Os festejos de São José do Desterro acontecem em março e a de Nossa Senhora do Desterro em agosto.

As atividades religiosas são realizadas na Igreja do Desterro, mas o local é configurado, também, como um espaço cultural, aberto para visitação. É um anexo do Museus Histórico e Artístico do Maranhão (MHAMA), órgão da Secma. Essa padronização é resultado de um contrato, em regime de comodato, celebrado entre o governo do estado e a Arquidiocese de São Luís.

Por meio desse contrato, o governo estadual é responsável pelos serviços de segurança, limpeza e conservação. A diretora do MHAMA, Amélia Cunha, informa que são realizadas visitas monitoradas, agendadas por meio do endereço do Instagram. “Esses serviços estão temporariamente suspensos por causa das obras, mas, tão logo a restauração esteja concluída, voltaremos a retomar o agendamento”, disse ela.

Restauro

Na Igreja do Desterro fica em uma área de tombamento do Governo Federal, mas o governo do Maranhão está realizando as obras de manutenção predial completa, com recursos próprios.

Os serviços incluem restauro da fachada e laterais. A igreja apresenta uma única torre sineira, à esquerda e de base quadrangular, encimada por coruchéus ligados por grades de ferro com a data “1868” na frente. A presença dos bulbos no frontão faz com que a igreja seja erroneamente classificada como bizantina. Todo esse conjunto arquitetônico está sendo cuidadosamente revitalizado.

Faz parte, também, do trabalho de restauro a área das cinco janelas voltadas para área externa, sendo as três centrais posteriores ao restante da fachada, assim como a torre; a porta central, ladeada por nichos; e duas outras portas encimadas por óculos.

Estão sendo feitas, também, a restauração das esquadrias, troca de todo o piso interno danificado, troca dos sistemas elétricos e hidráulicos e da cobertura. O trabalho é cuidadoso, pois, no interior da nave central, o piso é de lajotas de barro cozido, e o teto, em abóbada de berço. O altar-mor tem piso de cantaria e retábulo do século XIX, em estilo neoclássico.

O superintendente do Patrimônio Cultural do Estado, arquiteto e urbanista Luis Eduardo Longhi informou que os trabalhos estão conservando a arquitetura original da Igreja. “São feitas adaptações, sem interferir no visual original do imóvel”, explica.

História

A Igreja de São José do Desterro é uma das construções mais antigas de São Luís. O primeiro templo do local era uma ermida dedicada à Nossa Senhora do Desterro (e não a São José), construída no século XVII. Em 1641, São Luís foi invadida pelos holandeses. Uma parte da tropa desembarcou em frente a ermida do Desterro. Na ermida, os invasores despedaçaram as imagens de Nossa Senhora do Desterro e de Santo Antônio.

Após a derrota dos holandeses, os frades mercedários João Cerveira e Marcos da Natividade obtiveram, em 1654, autorização para construir a Igreja. A segunda igreja feita no local caiu em 1832. Foi restaurada com conclusão em 1839, quando passou a ser consagrada a São José do Desterro. Em 1865 estava novamente abandonada e reconstruída em 21 de outubro de 1869.

 

Deixe uma resposta