Câncer de mama: cuidados devem ser o ano inteiro

O diagnóstico precoce ainda é a chave para o sucesso do tratamento, com taxas de cura de até 95%.
Mulheres devem fazer o auto exame (Foto: Reprodução)

A maior campanha em prol da prevenção do câncer de mama, o Outubro Rosa, está chegando ao fim, mas os cuidados preventivos devem continuar ao longo de todo ano. Sendo esse tipo de câncer o de maior incidência no sexo feminino no Brasil e no mundo, depois do câncer não melanoma, o diagnóstico precoce ainda é a chave para o sucesso do tratamento, com taxas de cura de até 95%.

Mas com a pandemia, muitas mulheres adiaram os cuidados com a saúde preventiva, deixando não só de procurar atendimento médico especializado como também de realizar exames como a mamografia. Segundo dados da Fundação do Câncer – RJ, apoiado em dados do SUS, durante a pandemia houve uma redução de aproximadamente 84% do número total de mamografias realizadas.

“Muitas pessoas ficaram com medo de ir aos hospitais por causa da pandemia, o que consequentemente reduziu a realização de exames, principalmente de prevenção. E a redução no número de mamografias realizadas gerou um atraso significativo nos diagnósticos”, confirma o mastologista da Med Imagem, João de Deus Valadares Filho. O médico ressalta também que hoje é mais fácil ter acesso à mamografia, o que contribui para ter um diagnóstico mais rápido.

Ainda segundo o especialista, o cenário atual provocado pela covid-19 levou a uma piora na qualidade de vida. “Com a pandemia houve um aumento no consumo de álcool, cigarros e sedentarismo. Além disso, com as jornadas de trabalho cada vez mais elevadas, as pessoas estão se alimentando cada vez pior, gerando um crescimento dos casos de obesidade; aumentando, assim, os fatores de riscos para câncer”, explica João de Deus Filho.

Manter um estilo de vida mais saudável ainda é a melhor forma de prevenção para o câncer de mama. De acordo com informações apresentadas na abertura do Outubro Rosa 2021 no Instituto Nacional do Câncer (Inca), cerca de 13% dos casos da doença poderiam ter sido evitados se as pessoas levassem uma vida mais saudável. “É importante que as pessoas conheçam os fatores de risco e busquem ações que ajudem na prevenção da doença. Por isso, campanhas como essa ajudam a disseminar assuntos importantes que podem salvar vidas”, reforça o mastologista.

O médico traz também algumas ações preventivas que podem ser adotadas ao longo de todo o ano e que contribuem para a prevenção da doença:

– Ter uma alimentação saudável rica em legumes, verduras e frutas;

– Praticar atividade física regularmente;

– Manter o peso adequado;

– Reduzir o consumo de bebidas alcóolicas;

– Não fumar;

– Fazer um autoexame de toque na mama;

– Consultar regularmente o ginecologista.

 

Deixe uma resposta