Manoel Paulo Nunes, da APL, morre aos 96 anos

O intelectual piauiense estava internado desde o dia 1º de outubro, para tratamento de problemas pulmonares.
Manoel Paulo Nunes (Foto: Divulgação/APL)

O professor e escritor Manoel Paulo Nunes, que ocupava a cadeira 38 da Academia Piauiense de Letras (APL) morre hoje (14) aos 96 anos, de falência múltipla de órgãos, em Teresina, informou a APL, em nota de pesar. Ele estava internado desde o dia 1º de outubro, para tratamento de problemas pulmonares.

“O falecimento do Mestre Paulo Nunes, líder de várias gerações, enluta APL e representa uma grande perda para o Piauí, que ele tanto elevou com inteligência e honradez”, diz um trecho da nota da APL, assinada pelo seu presidente, o jornalista e escritor Zózimo Tavares.

“Ao tempo que expressa o seu profundo pesar à família e aos amigos, enaltece a sua extraordinária contribuição à educação e à cultura, atividades que abraçou desde a sua juventude, exercendo-as por toda a vida, de 96 anos, com devoção, brilho incomum e ética”, acrescenta a nota.

Amigos, familiares e admiradores do intelectual publicaram mensagens de pesar nas redes sociais e destacaram a trajetória de Manoel Paulo Nunes.

O sepultamento será na tarde desta quinta-feira (14), no cemitério Jardim da Ressureição, na zona Sudeste de Teresina.

Ele deixa quatro filhos, cinco netos e dois bisnetos.

Manoel Paulo Nunes nasceu em Regeneração, em 1925. Era bacharel em Direito, além de um dos fundadores da Universidade Federal do Piauí.

No período de 1992 a 1995 foi presidente da APL. Ele também presidiu o Conselho Estadual de Educação.

 

Deixe uma resposta