Atividade física trata e previne depressão

Ciência comprova que a prática de atividade física é grande aliada não só no combate e na prevenção da depressão.

Segundo recente relatório da OMS, a prevalência da depressão no Brasil já é a segunda maior carga de incapacidade, sendo o maior índice na América Latina. São mais de onze milhões de brasileiros diagnosticados com a doença, de acordo com dados da Pesquisa Nacional de Saúde (PNS). Certamente esses números disparam por conta do isolamento social exigido pela pandemia.

A ciência comprova que a prática de atividade física é uma grande aliada não só no combate, mas também na prevenção da depressão. Isso acontece porque o organismo libera uma substância chamada de ENDORFINA, que proporciona uma grande sensação de bem estar.

A atividade física ideal para combater um quadro depressivo é aquela que a pessoa goste, ou que ela tenha interesse em conhecer, pois somente dessa forma, ela persistirá nos exercícios.

A prática regular de atividades físicas também auxilia na regulação do sono. Geralmente, pessoas depressivas possuem a tendência de trocar o dia pela noite ou ter dificuldade para dormir, devido ao alto grau de ansiedade e estresse. Com a prática de exercícios físicos, é possível que o sono fique mais equilibrado.

Outro benefício é que ajuda a tirar o foco dos problemas. Ao estar se exercitando, o indivíduo esquece um pouco dos contratempos, o que permite que lide melhor com os mesmos.

Vale ressaltar, também, que a prática de exercícios físicos não só ajuda no tratamento contra a depressão, como também na prevenção. Com a prática regular, os sentimentos ficam mais equilibrados, é estimulada a sensação de bem estar, conforto, alegria e o entusiasmo diante da vida.

O Profissional de Educação Física deve ter sensibilidade em identificar um cliente com perfil depressivo, caso o cliente não relate. Importante também respeitar os limites e vontade do cliente sem dar pressão, e ajudar no estacionamento de metas alcançáveis.

 

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.

Deixe uma resposta