Emagrecimento: como evitar o efeito sanfona

Após alcançar os objetivos de peso ideal com um acompanhamento profissional interdisciplinar, entra a fase de manutenção. Veja na coluna.

A PNS (Pesquisa Nacional de Saúde) coletou dados de 2019 que comprovam aumento da obesidade entre jovens e adultos. Isso é preocupante pois uma população mais gorda está mais predisposta ao acometimento de uma série de doenças. A obesidade é uma doença causada por vários fatores, não sendo resultado somente do comer desvairadamente acompanhado do sedentarismo. A obesidade pode estar associada a várias doenças como diabetes, depressão, hipotireoidismo e doenças do sono. Desta forma, torna-se importante que se entenda a raiz do problema para que seja elaboradas estratégias eficientes de tratamento.

A obesidade atinge todos os perfis de pessoas indistintamente de sexo, padrão social e faixa etária. A participação da família é fundamental no processo de tratamento da doença, principalmente no cuidado com as crianças, que é a fase de aquisição de bons hábitos alimentares. Esse cuidado nesta fase da vida é muito importante pois nos primeiros anos de vida, a obesidade acontece tanto pelo aumento do volume (hipertrofia) das células de gordura como pela quantidade de células (hiperplasia); desta forma, se o número células se elevou muito até adolescência, a pessoa certamente terá dificulidade em manter o peso normal. Cada organismo é único, ou seja, cada pessoa tem sua fisiologia específica, por isso, dificilmente essas dietas de internet dão resultados.

Após alcançar os objetivos de peso ideal com um acompanhamento interdisciplinar, entra a fase de manutenção. Alguns estudos apontam que para cada kg perdido, é necessário 1 mês de manutenção. Outros mostram que é preciso manter o kg perdido por pelo menos 12 meses para que o organismo entenda que esse é o novo peso corporal. Se não mantiver as mudanças de hábitos, certamente a pessoa voltará a aumentar de peso de novo, caracterizando o tão comum e indesejável EFEITO SANFONA.

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.

 

Deixe uma resposta