Seleção Olímpica enfrenta a Alemanha na abertura de Tóquio 2020

O Brasil faz sua primeira partida na manhã desta quinta-feira (22), contra a Alemanha, em reedição da final de 2016.
Daniel Alves disputará a Olimpíada pela primeira vez em sua carreira (Foto: Lucas Figueiredo/CBF)

Nesta quinta-feira (22), Brasil e Alemanha se enfrentam pela primeira rodada do futebol masculino nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Às 8h30 (horário de Brasília), no Estádio de Yokohama, a equipe de André Jardine entra em campo em busca de defender o ouro conquistado há cinco anos, no Rio de Janeiro, contra a própria Alemanha. A partida terá transmissão ao vivo da Rede Globo, do Sportv e da BandSports.

Reedição da última final olímpica, Brasil x Alemanha é um clássico com muita rivalidade na história do futebol. Jardine sabe bem disso. O jogo desta quinta-feira, por exemplo, será disputado no mesmo estádio em que as duas seleções fizeram a final da Copa do Mundo FIFA de 2002, vencida pelo Brasil.

O jogador mais novo de todo o grupo é o meia Reinier, do Borussia Dortmund. Com apenas 19 anos, ele tem até mesmo idade para disputar os próximos Jogos Olímpicos, em 2024, sem precisar ser um dos atletas acima do limite.

Mais velho da Seleção Olímpica, aos 38 anos, Daniel Alves se prepara para mais um grande desafio em sua carreira. Um dos jogadores mais vitoriosos da história do futebol, o lateral foi uma aposta do técnico André Jardine para dar experiência e ser uma grande liderança do grupo. Além dele, o zagueiro Diego Carlos e o goleiro Santos foram os outros jogadores acima da idade limite de 24 anos convocados. (CBF)

Equipe da canoagem slalom mostra confiança no Japão

Na canoagem slalom, o Brasil será representado na Olimpíada pela dupla Pepê Gonçalves ( na prova do K1) e Ana Sátila (no K1 e do C1). A atleta mineira foi a primeira brasileira a desembarcar no Japão, e treina na localidade de Kasai desde o dia 8. Já Pepê teve um contratempo para viajar, mas agora já se prepara em solo japonês.

Ana Sátila é a primeira brasileira a estrear na modalidade (Foto: COB/Divulgação)

“Foi motivo de muito orgulho, para mim, abrir o caminho para toda a delegação. Com todos os protocolos adotados pela organização, conseguimos ficar num formato de bolha e pudemos usar a pista todos os dias”, disse Ana Sátila ao Comitê Olímpico do Brasil (COB) nesta quarta-feira (21). A canoísta, que participa de sua terceira edição de Jogos Olímpicos, fará a primeira participação no evento realizado no Japão no próximo domingo (25), nas disputas do K1 (caiaque) feminino a partir de 1h50 (horário de Brasília).

As provas do C1 (canoa) começam na próxima quarta-feira (28), a partir de 0h50 (horário de Brasília). Em relação aos resultados, ela se diz bem preparada para conseguir um lugar no pódio.

“Queria, nessas primeiras semanas de treino, conseguir uma adaptação boa, fazer o reconhecimento da pista, na qual tínhamos remado somente uma vez no evento-teste, me adaptar à alimentação, aos horários de descanso, ao fuso horário e ao canal. Tudo isso tem dado muito certo, me adaptei bem a tudo. A pista, por causa do cansaço, demorou um pouco mais de tempo, mas hoje me sinto totalmente preparada e com um trabalho muito bem-feito”, completou. (Agência Brasil)

Jogos têm protocolos rígidos e medo da pandemia

Não é a primeira vez que Tóquio teve que lidar com incertezas quanto à realização da Olimpíada. A edição que deveria ser realizada no país em 1940 foi transferida para Helsinque, na Finlândia, por conta de guerra e instabilidade política. Oitenta anos depois, em 2020, a pandemia de covid-19 trouxe um novo clima de insegurança e medo, com a doença tomando conta do mundo e ameaçando a realização da competição.

Após muita pressão, em março de 2020, logo após a declaração da Organização Mundial da Saúde (OMS) elevando o estado de contaminação pelo novo coronavírus como pandemia, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou o adiamento da 32ª edição do evento para 2021.

Depois de mais de um ano, a covid-19 continua a matar milhares de pessoas por dia, as vacinas são escassas – principalmente nos países mais pobres – e a maioria dos japoneses é contra a realização enquanto a pandemia perdurar, mas os Jogos Olímpicos foram confirmados e vão ocorrer com protocolos e medidas duras de segurança a partir desta quarta-feira (21), com a cerimônia de abertura na sexta (23). (Agência Brasil)

Atuação de Marta ganha reverência de Pelé
Marta fez dois gols na estreia (Foto: Sam Robles/COB)

A grande atuação de Marta nesta quarta-feira (21), na goleada por 5 a 0 sobre a China, que inaugurou a participação da seleção feminina de futebol na Olimpíada de Tóquio (Japão), não passou batida por Edson Arantes do Nascimento, o Pelé. Em postagem no Instagram, o Rei prestou reverência à Rainha, enaltecendo a carreira da camisa 10 e a inspiração que ela traz a mulheres de todo o mundo que sonham com reconhecimento no esporte.

Com os dois gols que marcou diante das chinesas, Marta chegou a 12 em cinco edições de Jogos, aproximando-se da também atacante brasileira Cristiane, a maior artilheira do torneio olímpico de futebol (entre homens e mulheres) com 14 gols. Vale lembrar que a craque já é a goleadora máxima das Copas do Mundo, também considerando os dois gêneros, com 17 tentos, um a mais que o ex-centroavante alemão Miroslav Klose.

“Quantos sonhos você acha que inspirou hoje?”, indagou Pelé, antes de completar, “a sua conquista significa muito mais que um recorde pessoal. Ela simboliza a esperança de um mundo melhor, em que as mulheres conquistam muito mais espaço. Esse momento inspira milhões de atletas de tantas outras modalidades esportivas, de todos os lugares do mundo, que lutam por reconhecimento. Parabéns pela sua trajetória. Parabéns, pois você é muito mais que uma jogadora de futebol. Você ajuda a construir um mundo melhor com os seus pés”. (Agência Brasil)

 

Deixe uma resposta