Maternidades de Teresina fazem mais de 3 mil testes da orelhinha e do pezinho

O teste da orelhinha é realizado nos bebês para avaliar a audição e detectar precocemente algum grau de surdez.
Fonoaudióloga da FMS Elaine Fernandes dos Santos (Foto: Ascom/FMS)

Nas quatro maternidades da Prefeitura de Teresina localizados nos bairros Dirceu, Buenos, Aires, Satélite e Promorar  foram realizados 3.693 testes do pezinho e da orelhinha nos recém-nascidos, de janeiro a maio deste ano. Com o teste da orelhinha foram 2.106 atendimentos e 1.587 testes do pezinho.

O teste da orelhinha é realizado nos bebês para avaliar a audição e detectar precocemente algum grau de surdez. O teste do pezinho detecta precocemente algumas doenças metabólicas sérias, raras e assintomáticas que, se não tratadas a tempo, podem afetar o desenvolvimento do bebê, levar a sequelas irreversíveis ou até mesmo ao óbito.

A diretora de Atenção Especializada da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Fátima Garcêz, destaca a importância desse atendimento. “Todas as maternidades municipais oferecem esse atendimento e essa testagem é essencial na identificação precocemente de doenças graves que poderiam comprometer o desenvolvimento saudável da criança”, especifica.

A fonoaudióloga da Fundação Municipal de Saúde (FMS) que trabalha na Maternidade Professor Wall Ferraz, Elaine Fernandes dos Santos, explica sobre a necessidade de analisar a saúde auditiva do bebê.

“É fundamental para o desenvolvimento da linguagem e inclusão social. Conhecido como Teste da Orelhinha, é o primeiro passo para investigar a saúde auditiva dos recém-nascidos e detectar possíveis alterações, possibilitando, posteriormente, o encaminhamento para exames complementares, caso seja necessário”, diz.

Os dois testes são realizados nas maternidades municipais com agendamento quando a mãe e o bebê ainda estão na maternidade. O teste do pezinho deve ser feito a partir do 3º dia de vida do bebê e no prazo máximo de até 30 dias. Não deve ser feito antes de 48 horas após o nascimento, pois os resultados podem não ser confiáveis. O teste da orelhinha deve ser realizado de 24 a 48 horas de vida do bebê ou no primeiro mês de vida.

A diretora da Maternidade do bairro Satélite, Luciana Sebim, explica que as maternidades realizam os testes também de crianças que não nasceram nas maternidades municipais. “Para esse atendimento é necessário agendar nas Unidades Básicas de Saúde (UBS), nas Maternidades ou nos hospitais, no setor do Same que é Serviço de Arquivo Médico e Estatística”, orienta.

 

Deixe uma resposta