Falta de professores prejudica alunos de medicina na Uespi

Os estudantes reclamam da ausência de diálogo com o governo do estado para resolver o problema na instituição de ensino.

Os alunos do curso de medicina da Universidade Estadual do Piauí (Uespi) correm o risco de ficar sem aulas por causa da falta de professores. A denúncia da vice-presidente do Centro Acadêmico da Uespi, Luciana Ximenes, foi publicada pelo site TRNotícia, do jornalista Toni Rodrigues.

Luciana Ximenes, vice-presidente do Centro Acadêmico (Foto: Reprodução)

De acordo com site, a falta de professores afeta as disciplinas de urologia, geriatria, diagnóstico por imagem, dermatologia, anestesiologia, dentre outras. “Matérias importantes para a formação do médico, que são imprescindíveis”, afirmou a acadêmica ao jornalista.

Segundo Luciana, que ingressou no curso em 2019, sua previsão de formatura é o primeiro semestre de 2025, o que parece impossível. Os estudantes já tentaram conversar com o governo do estado em busca de uma solução para o problema, mas as reivindicações não tiveram resposta.

A Uespi enfrenta um problema antigo de falta de professores. O último concurso público realizado pela instituição foi em 2017. Docentes com contrato temporário não tiveram o vínculo renovado com a universidade, o que agravou a situação.

Para ler a reportagem completa, clique aqui.

 

Deixe uma resposta