MP aprova interdição da academia onde lutador morreu

O jovem Jonas de Andrade Carvalho Filho morreu após participar de uma luta na academia “Fundo de Quintal”, em Teresina.

O Ministério Público do Piauí (MP-PI) manifestou-se a favor da interdição da academia “Fundo de Quintal”, em Teresina, onde foi realizada a luta clandestina que resultou na morte de Jonas de Andrade Carvalho Filho, em abril deste ano.

A promotora de Justiça Gianny Vieira de Carvalho, da 54ª Promotoria de Justiça de Teresina, tomou a decisão em resposta a pedido feito pela Polícia Civil, que investigou a morte do lutador.

No documento, a representante do Ministério Público explica que no inquérito policial ficou constatado que o evento não possuía nenhuma autorização para sua realização. Os organizadores, segundo informações prestadas à Polícia Civil, ainda tentaram obter algum tipo de apoio da Federação Piauiense de Boxe Amador e Profissional, sem êxito.

“Entende este Órgão Ministerial, portanto, que a autoridade policial logrou êxito em expor os motivos ensejadores do pedido visto o total desrespeito dos organizadores do evento esportivo perante o Decreto Estadual, como também para com a vida humana”, disse a promotora de Justiça Gianny Carvalho, no despacho.

Ao promover a luta, a academia desrespeitou o decreto estadual com medidas restritivas para conter o avanço da covid-19. No período, já estava em vigor a proibição de eventos com aglomerações.

Assim, o Ministério Público Estadual, por meio da 54ª PJ, opinou pelo deferimento do pedido de interdição da academia “Fundo de Quintal”, em caráter de urgência, a fim evitar-se prejuízos e danos a terceiros.

Com informações do MP-PI

 

Deixe uma resposta