Piauí mantém flexibilização das medidas restritivas contra covid-19

Novo decreto estadual valerá até o dia 6 de junho. Confira horários do comércio, bares, restaurantes e toque de recolher.

O Governo do Piauí publicou hoje (30) novo decreto com as medidas sanitárias para conter a transmissão do novo coronavírus em todo o estado. As ações serão válidas no período de 31 de maio a 6 de junho. O documento mantém a flexibilização das restrições.

Todos os decretos baixados pelo governador Wellington Dias segue orientações do Comitê de Operações Especiais (COE). Confira o que ficou definido para esta semana:

Eventos suspensos

Conforme o documento continuam suspensas todas as atividades que gerem aglomeração, bem como eventos culturais, boates, casas de shows ou qualquer atividades festivas público ou privadas, com ou sem a cobrança de ingressos.

Toque de recolher

O toque de recolher será das 24h às 5h, ressalvados os deslocamentos de extrema necessidade. A medida já teve vários horários e o mais severo foi das 21h às 5h.

Comércio

O comércio em geral deve funcionar até às 17h. As lojas que abrem no horário noturno podem funcionar até às 20h, não ultrapassando 9h de funcionamento; mercados, mercadinhos e mercearias podem ficar abertos até às 23h.

Já os shoppings funcionarão das 12h às 22h, segundo o decreto estadual. Em Teresina, estes estabelecimentos já estão abrindo a partir das 10h e o expediente das lojas de rua vai até às 15h no sábado.

Bares e restaurantes

Bares, restaurantes, trailers e lanchonetes podem funcionar até às 23h, mas não podem realizar confraternização, festas ou qualquer evento que gere aglomeração. O decreto também dispõe sobre os eventos realizados ou patrocinados pelo poder público.

Fiscalização

A fiscalização das medidas determinadas no decreto será exercida de forma ostensiva pelas vigilâncias sanitárias estadual e municipal, com o apoio da Polícia Militar, da Polícia Civil e da Guarda Municipal, onde houver. Os órgãos poderão solicitar a colaboração da Polícia Federal, da Polícia Rodoviária Federal e do Ministério Público Estadual.

Confira o decreto válido até 6 de junho.

 

Deixe uma resposta