Exercícios físicos aumentam eficiência da vacina em 50%

A coluna da semana mostra resultado de pesquisa que reforça a importância dos exercícios físicos no período após a vacinação.

Atividade física regular fortalece o sistema imunológico, reduz em mais de 1/3 o risco de adoecer e morrer de doenças infecciosas e aumenta significativamente a eficácia das campanhas de vacinação. Isso foi o apontou um estudo publicado em abril desse ano na revista SPORT MED, reunindo pesquisadores de várias universidades inglesas, escocesas, belgas e espanholas.

Não dar pra entender o posicionamento da turma do “contra”. Se você que atividade física é importante; vão falar que é perigoso ir para academia. Se você comprova que é seguro ir para academia; vão falar que preferem esperar a vacina. Se você diz que fazer exercícios reduz o risco de adoecimento; vão dizer que isso as fará desistir de vacinar. Enfim, sempre terão uma desculpa pra se engajarem nos exercícios físicos.

No estudo citado acima, feito por Chastin et all (2021) avaliou se a atividade física influencia 3 pontos.

1- Risco de contrair doença infecciosa;

2- Fatores imunes avaliados em laboratório; e

3 – Resposta imune à vacinação.

Com relação ao primeiro ponto, ser fisicamente ativo reduz em 31% o risco de se infectar em meio uma pandemia e 37% o risco de morrer por uma doença infecciosa. Sobre o segundo ponto, ser fisicamente ativo é associado com uma melhor imunidade. E quanto ao terceiro ponto, especialmente importante para as pessoas que estão paradas esperando a vacina. O estudo mostrou que as pessoas fisicamente ativas têm maior contagem de anticorpos em resposta à vacina. Os autores concluíram que a probabilidade de mostrar anticorpos altos se eleva 50%. Ou seja, atividade física faz com que a vacina funcione melhor.

O estudo realizado foi a prática de ATIVIDADE FÍSICA feita por 30 minutos, 5 vezes na semana. Mostrando que uma rotina de exercícios simples pode mudar a vida de toda uma população. Desta forma seria interessante os gestores públicos, que se dizem preocupados com a saúde de povo, investissem em campanhas de incentivo à prática de ATIVIDADE FÍSICA.

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.


 

Deixe uma resposta