Piauí confirma mais 15 mortes e 1.082 casos de covid-19

Entre ontem e hoje, o Brasil registrou 2.494 novos óbitos, segundo os dados do Ministério da Saúde.

O boletim atualizado da Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi), divulgado na noite de hoje (12), informa que 1.082 casos e 15 mortes por covid-19 foram registrados nas últimas 24 horas, além da confirmação de nove óbitos que estavam sob investigação.

Agora o estado soma 254.270 diagósticos positivos para novo coronavírus, com 5.447 vidas perdidas. A primeira morte por covid-19 no Piauí foi em março de 2020.

De acordo com a pasta, as vítimas recentes moravam em Teresina (2), Parnaíba (2), Campo Maior (2), Barras, Dom Expedito Lopes, Jaicós, Pedro II, Buriti dos Lopes, Piripiri, São Raimundo Nonato, União e Valença do Piauí.

Já os óbitos sob investigação ocorreram em Teresina (2), Canto do Buriti, Palmeirais, Parnaíba, Altos, Coronel José Dias, Piripiri e Ribeira do Piauí.

Com os novos acréscimos, subiu para 2.046 o número de pessoas que perderam a vida para a covid-19 em Teresina, a cidade mais afetada pela pandemia. Em seguida, aparece Parnaíba, com 361 perdas.

No momento, 1.148 leitos estão ocupados por pacientes contaminados pelo coronavírus, sendo 380 se encontram na Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

Covid-19 no Brasil

O número de casos de pessoas infectadas com o novo coronavírus subiu para 15.359.397. Em 24 horas, as autoridades de saúde confirmaram 76.692 novos diagnósticos positivos da doença. 

Segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado hoje (12), o total de mortes em função da covid-19 subiu para 428.034. Entre ontem e hoje, foram acrescidas às novas estatísticas 2.494 novos óbitos.

O ranking de estados com mais mortes pela covid-19 é liderado por São Paulo (102.356). Em seguida vêm Rio de Janeiro (47.052), Minas Gerais (36.495), Rio Grande do Sul (26.318) e Paraná (24.074). Já na parte de baixo da lista, com menos vidas perdidas para a pandemia, estão Roraima (1.559), Amapá e Acre (1.601), Tocantins (2.668) e Alagoas (4.429).

Da Redação e Agência Brasil

 

Deixe uma resposta