MP-PI apura supersalários na Câmara de Teresina

A investigação vai abranger os últimos cinco anos, com levantamento do orçamento e situação de pessoal do legislativo municipal.

O Ministério Público do Piauí (MP-PI) vai investigar “possíveis irregularidades” na Câmara Municipal de Teresina, entre elas acúmulo de cargos, número excessivo de cargos comissionados e pagamento de supersalários.

O promotor de Justiça Francisco de Jesus Lima, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, abriu a investigação com base em publicações nas redes sociais, de acordo com nota publicada no site do MP-PI.

Confira a nota do MP-PI, na íntegra:

A 42ª Promotoria de Justiça de Teresina, do Núcleo de Defesa do Patrimônio Público e da Probidade Administrativa, instaurou procedimento investigatório preliminar para apurar possíveis irregularidades na administração da Câmara de Vereadores da capital.

O promotor de Justiça Francisco de Jesus Lima abriu a investigação considerando publicações realizadas em redes sociais. As informações divulgadas apontam para a existência de práticas incompatíveis com os princípios constitucionais: acúmulo indevido de cargos públicos pelos servidores do Legislativo municipal, quantidade excessiva de cargos comissionados e pagamento de “supersalários”, entre outras.

O procedimento é um preparatório de auditoria fiscal orçamentária e de pessoal na Câmara Municipal. O levantamento deverá abranger os últimos cinco anos.

 

Deixe uma resposta