É Tempo de Cuidar: Dia D da campanha será domingo

A ação solidária da CNBB arrecada cestas básicas e material de higiene para as famílias carentes, lembra Dom Jacinto Brito.

O próximo domingo é o Dia D da campanha “É Tempo de Cuidar”, que arrecada cestas básicas e material de higiene para distribuição com as famílias carentes, informou o arcebispo de Teresina, Dom Jacinto Brito. A campanha foi lançada em 2020 e idealizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e a Cáritas Brasileira.

A segunda fase da campanha teve início a nível estadual no último dia 21 de abril durante o evento de lançamento, realizado pelo Regional Nordeste IV da CNBB, Cáritas Brasileira (Regional Piauí) e Fórum Regional de Pastorais Sociais, com o apoio do Governo do Estado do Piauí.

O objetivo da ação é ajudar as pessoas em situação de vulnerabilidade diante dos problemas sociais agravados pela pandemia do novo coronavírus, buscando fortalecer a solidariedade fraterna nas Igrejas do Brasil.

Para intensificar a campanha, a Arquidiocese de Teresina convocou todas as paróquias, pastorais e outros movimentos sociais para se juntarem às iniciativas em andamento ou promover novas ações de solidariedade, estimulando os fiéis a realizarem gestos concretos de ajuda às famílias neste momento difícil, por meio da doação de cestas básicas e materiais de higiene.

Segundo Dom Jacinto, a iniciativa da campanha é da Igreja Católica, mas também se estende a outras instituições e pessoas que se juntam à campanha para formar um mutirão de solidariedade.

“Como o Papa João Paulo II dizia, a solidariedade é o nome novo da caridade. Por isso mesmo nós estamos desenvolvendo essa campanha”, destacou Dom Jacinto. As doações chegam desde o dia do lançamento da campanha e já estão sendo distribuídas entre as dioceses do Piauí de forma criteriosa para aqueles que mais precisam.

“Nós temos um dia “D”, Dia das mães, que dia bonito para isso. O dia que nosso coração de filhos se move de ternura. Escolhemos esse dia “D” para a nossa campanha a fim de que cada um que vai a celebração ou mesmo não indo à celebração em sua comunidade possa mandar. É como um filho que vai ajudar a mãe”, disse.

Cada paróquia ficará responsável pela mobilização da sua comunidade, bem como a articulação das doações e mapeamento das famílias que serão beneficiadas com os itens arrecadados.

Com informações da Arquidiocese de Teresina

 

Deixe uma resposta