Dor na coluna é questão de saúde pública

As atividades em home office, junto com o aumento do sedentarismo na pandemia do novo coronavírus, agravaram bastante esse quadro.

A dor na coluna atinge quase 30 milhões de adultos no Brasil, segundo dados da Pesquisa Nacional da Saúde (PNS). A doença crônica, que é o problema mais gera afastamento entre trabalhadores no Brasil, deve afetar 8 em cada 10 brasileiros no decorrer da vida, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). E o home office, juntamente com o aumento do sedentarismo na pandemia, agravou o quadro.

Segundo estudo desenvolvido pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), a Fiocruz e Unicamp no ano passado, com 44.062 indivíduos, 54% dos entrevistados que já sofriam com problemas de coluna relataram aumento na dor, e 40% dos que não tinham problemas na coluna afirmaram que passaram a sentir dores em 2020. Embora o transtorno seja comum no dia a dia de muitas pessoas, é possível evitar que vire um problema crônico no futuro, tornando- se um problema de saúde pública.

Neste contexto, praticar exercícios físicos, além de ter uma boa postura e bons hábitos alimentares, pode ser determinante na hora de prevenir a doença.

Segundo especialistas, a atividade física específica como a prática da musculação ajuda a melhorar o padrão muscular das costas, o que certamente vai aliviar as dores de coluna. A melhoria da musculatura das costas e abdômen (CORE), responsáveis pela sustentação da coluna, ajuda a prevenir dores musculares, além de evitar o desgaste precoce de discos e articulações da coluna.
No entanto, é Importante ressaltar que os exercícios devem ser feitos de forma correta. Isso por que, atividades físicas em excesso ou feitos com movimentos errados também são prejudiciais à coluna.

Exercício físico em excesso ou com postura inadequada pode causar dores musculares, predispor a hérnia de disco, artrose discopatia ou até fraturas. Por isso, o ideal é sempre passar por uma avaliação médica antes de iniciar os exercícios e ter acompanhamento de Educador Físico.

Atividades menos indicada

Para quem já sofre com dores nas costas deve evitar exercício físico com impacto, já que podem trazer mais danos à coluna. São atividades que incluem saltos, corridas, como basquete e vôlei.

Por outro lado, temos outras opções de exercícios como hidroginástica, musculação, Pilates que trabalham a postura e são mais indicados para pessoas atingidas pelas dores na coluna.

Como passamos a maior parte de nosso tempo no trabalho, é preciso ter atenção à ergonomia para evitar dores nas costas. No caso de pessoas que trabalham em escritório e precisam ficar muito tempo sentadas:

1-Utilizar uma cadeira com apoio para a coluna, com os pés apoiados no chão, joelhos e quadris dobrados em 90 graus.

2-Tela do computador na altura dos olhos.

3-Teclado e mouse em uma mesa na altura dos cotovelos dobrados.

4-Fazer intervalos a cada duas horas, andar e fazer alongamentos.

5-Paralelamente, manter o peso corporal adequado e uma rotina de Atividade física pelo menos 3 vezes na semana.

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.


 

Deixe uma resposta