Jornalista Raimundo Cazé, 77 anos, morre de covid-19

O profissional tomou as duas doses da vacina contra o novo coronavírus. Ele morreu na noite de segunda-feira, em Teresina.
Jornalista Raimundo Cazé (Foto: Arquivo Pessoal)

O jornalista e radialista Raimundo Rosa de Sá, mais conhecido como Raimundo Cazé, 77 anos, morreu na noite de segunda-feira (26), em Teresina, em decorrência da covid-19. O profissional tomou as duas doses da vacina e em seguida testou positivo para o coronavírus.

Cazé foi internado na UTI do Hospital Universitário (HU). Como estado de saúde era grave, ele foi intubado, mas não resistiu ao tratamento. A morte do jornalista foi comunicada pela família através das redes sociais.

Poeta, cordelista e sanfoneiro, Raimundo Cazé era um homem de humor apurado.

Jornalista há mais de 50 anos, Cazé trabalhou nos principais órgãos de comunicação de Teresina, e tinha experiência em jornal e rádio. Passou pelo Jornal da Manhã, O Dia, Correio do Piauí, Diário do Povo, além das rádios Pioneira e Difusora.

Ele trabalhava há mais de 30 anos na assessoria de imprensa da Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi). Cazé nasceu em agosto de 1943, no interior do Maranhão.

Em nota, a Alepi divulgou nota de pesar, na qual lamenta a morte do jornalista.

Confira a mensagem, na íntegra:

É com profundo pesar que a Assembleia Legislativa do Estado do Piauí informa e lamenta o falecimento do jornalista, radialista e escritor Raimundo Rosa de Sá, o Raimundo Cazé.

Com mais de 30 anos de atuação na assessoria de imprensa desta Casa, Raimundo Casé também foi chefe da Coordenadoria de Relações Públicas e Assessoria de Imprensa, apresentou os programas “Passado em Evidência” e “Sanfonado” na Rádio Assembleia e fez inúmeras participações nos programas da TV Assembleia.

O jornalista, que iniciou sua carreira na década de 60, também passou por diversos veículos de comunicação do Piauí, como Jornal da Manhã, Correio do Piauí e as rádios Pioneira e Difusora, além de contribuir em colunas nacionais como a do jornalista Augusto Nunes na Veja.

 

Deixe uma resposta