Decreto que obriga uso da máscara no Piauí completa um ano

O equipamento e as medidas restritivas são importantes para enfrentar a pandemia da covid-19, alertam as autoridades sanitárias no estado.
Uso da máscara é importante para combater a covid-19 (Foto: Agência Brasil)

A publicação do decreto estadual nº 18.947/2020, que trata sobre a obrigatoriedade do uso de máscaras faciais em espaços públicos do Piauí completa um ano nesta quinta-feira (22). A medida foi definida pelo Governo do Estado como uma ação preventiva e de enfrentamento à pandemia da covid-19, colocando o Piauí entre os primeiros estados do Brasil a tornar o uso de máscara obrigatório.

Em alusão a esta data, a Secretaria Estadual da Saúde (Sespi), o Centro de Operações Emergenciais (COE), a Diretoria de Vigilância Sanitária do Piauí (Divisa) e Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado do Piauí (Cosems) fazem mais um alerta à população enfatizando a importância do uso da máscara, tanto nos estabelecimentos públicos e privados, quanto em vias públicas.

Em nota publicada pela Sesapi e em parceria com o Cosems, o órgão destaca “que a população não pode abandonar o uso da máscara neste momento, mesmo aquelas pessoas que já foram vacinadas, em face da situação epidemiológica atual e do potencial risco de disseminação de novas variantes, uma vez que o Piauí já registrou casos com a presença de duas variantes do novo coronavírus”.

O documento alerta ainda à população, conforme o decreto nº 18.947/2020, sobre a obrigatoriedade do uso da máscara antes de sair de casa, ao deslocar-se por via pública e em locais onde há grande circulação de pessoas, inclusive durante a realização de atividades físicas, como as caminhadas em vias públicas.

“É uma medida que a gente já vem há um ano dando ênfase sobre a sua importância e eficácia, mas nós precisamos insistir com a população sobre o uso das máscaras faciais. Nós precisamos dar continuidade à adesão das medidas preventivas contra a covid-19. Não podemos relaxar, pois só assim nós vamos conseguir controlar a disseminação da doença e evitar que mais óbitos ocorram com a nossa população”, destacou a diretora da Divisa, Tatiana Chaves.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) e a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), bem como as demais autoridades sanitárias, defendem que o uso da máscara facial, com a lavagem das mãos, uso de álcool em gel a 70% e a não aglomeração de pessoas, constituem como as medidas mais eficazes no enfrentamento à covid-19.

“Apesar de todas as informações que nós já temos sobre a eficácia dessas medidas, elas dependem essencialmente da adesão e do comprometimento de cada cidadão com a sua saúde, do seu próximo e de toda a coletividade”, ressaltou a diretora da Divisa.

Confira a nota completa

CCom

 

Deixe uma resposta