Idoso deve treinar com intensidade alta

Um estudo com 64 idosos mostra importância dos exercícios de alta intensidade, com maiores aumentos na memória nesta faixa etária.

Fala-se que HIIT (Treinamento de Alta Intensidade) faz bem para o cérebro, e surgiram questões do tipo se isso também seria aplicável aos idosos. Não desmerecendo a importância de estimular o cérebro dos mais jovens, tanto para manter a saúde no presente, quanto para prevenir problemas futuros.

Mas as pessoas que trabalham (ou convivem ) com idosos podem se imaginar se isso poderia ajudar esse grupo, já que o envelhecimento costuma trazer prejuízos, inclusive com risco aumentado de demência.

Um estudo realizado por Kovacevic et al. (2020) envolveu 64 idosos que foram divididos em três grupos de praticantes de atividades físicas diferentes:

1. HIIT (Treinamento Intervalado) – 4 x 4 min. a 70 a 75% da frequência cardíaca máxima.

2. Treinamento contínuo ou aeróbio tipo uma caminhada ( 47 min. com 50 a 70% da frequência cardíaca máxima).

3. Sessão de Alongamentos.

Ao final do estudo foi avaliado testes de memória e funções executivas. O treino HIIT promoveu os maiores aumentos na memória, já a função executiva, tanto os exercícios contínuos como os de alta intensidade apresentaram resultados similares. Enquanto que os treinos de Alongamentos não apresentou resultados significativos.

Moral da história, mais uma evidência científica de que as atividades físicas que geram mais benefícios para a saúde dos idosos, são as mais intensas e mais pesados. Mas é claro respeitando o Princípio da Individualidade Biológica.

É fato também que é bastante comum vermos muitos profissionais com receio de treinar esse grupo de risco. Esse é um tabu a ser superado por muitos Profissionais de Educação Física.

A sessão de treinamento é um estímulo aplicado ao organismo, e somente o Profissional de Educação Física está capacitado pra isso. Desta forma não adianta muito se exercitar em intensidades muito baixa. Esta é razão pela qual médicos e fisioterapeutas não devem prescrever treinamento. Além de questões éticas.

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.


 

Deixe uma resposta