Exercícios têm que ser na medida certa

Saiba o que acontece quando se faz mais atividades do que o corpo é capaz de aguentar para se recuperar.

Muitas vezes, o sonho de um corpo perfeito pode resultar num esforço além da conta. Porém, esse excesso acaba levando ao que chamamos tecnicamente de OVERTRAINING, que é o excesso de exercícios, aliado à falta de tempo suficiente para o organismo se recuperar do treino, essa condição é chamada de OVERTRAINING. Quando se faz mais atividades do que o corpo é capaz de aguentar para se recuperar, ele limita o ganho de qualidades físicas como a força muscular.
Fatores como alimentação errada e falta de sono também colaboram para que ele (OVERTRAINING) aconteça.

Se você tem alguns desses sintomas: cansaço anormal, irritabilidade, perda de apetite e/ ou força muscular, contusões e resfriados frequentes ou insônia, fique atento; pois você pode estar em OVERTRAINING.

COMO EVITAR:

1. TREINAR SOMENTE O SUFICIENTE. De preferência que você tenha um acompanhamento de um Profissional de Educação Física devidamente registrado no Conselho Regional de Educação Física (CREF). E não se sinta mal se num determinado dia você treinar menos que 1 hora por dia. Depois de mais ou menos essa faixa de tempo de treino, os níveis de cortizol (hormônio indesejável) começam a subir e os de testosterona (hormônio desejável) – o hormônio que , entre outras coisas, faz o músculo crescer – passam a cair. O excesso de atividade é o principal fator para essa situação.

2. DIETA SEVERA – Se você se alimenta de carne sem gordura, não come nada com açúcar ou pula refeição o tempo todo pode acabar prejudicando. Pois, a preocupação excessiva com a ingestão de alimentos é sintoma de um distúrbio (nada saudável) chamado ortorexia.

3. DORES FREQUENTES – Durante a musculação, até certo ponto as dores durante o exercício são consideradas normais, mas quando chega ao ponto de incomodar mesmo estando em repouso, pode ser que seja um sinal de OVERTRAINING. Se você está lesionado não deve treinar, sob o risco de em pouco tempo ter que parar totalmente.

4. BAIXA RESISTÊNCIA – Em situações como essas, o praticante se sente muito cansada, sente os músculos “reclamando”, ou então vem dores nas articulações, dor de cabeça, baixa resistência para fazer atividades simples do dia a dia e insônia.

Então é hora de rever o modo como está treinando e começar a reservar dois dias na semana para recuperação e descansar. E assim seu organismo usará esta pausa para retornar ao normal e permitir que você volte a ter banhos musculares e de performance.

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 33 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.


 

Deixe uma resposta