Novo decreto do Governo fecha comércio por quatro dias no Piauí

Toque de recolher será ampliado e começa às 21h a partir de segunda-feira (15), de acordo com o novo decreto.

O governador Wellington Dias anunciou na noite de hoje (13) restrições mais severas para combater o avanço da covid-19 no Piauí. O comércio vai fechar de quinta-feira a domingo e o toque de recolher começará mais cedo, às 21h. O decreto entra em vigor nesta segunda-feira (15), com validade até 21 de março

Governador Wellington Dias (Foto: Divulgação)

As medidas foram definidas após a reunião realizada hoje entre o governador e o COE Ampliado, o Comitê de Operações Emergenciais da Covid-19 que conta com a participação de representantes da Justiça, Ministério Público, empresários e sindicatos, entre outros.

Durante quatro dias, só funcionarão os serviços essenciais imprescindíveis. Neste período, ficarão suspensas as atividades presenciais em escolas, igrejas e academias de ginástica. No domingo (21) o comitê se reunirá novamente para avaliar as medidas.

De segunda-feira (15) até quarta-feira (17), os shoppings, postos de combustíveis, bares e restaurantes terão redução de uma hora no funcionamento, ou seja, funcionarão até 20h. Isso porque a restrição à circulação de pessoas nas ruas será antecipada, iniciando às 21h, com término às 5h.

As medidas estão alinhadas com outros estados brasileiros. Dados compartilhados na reunião de governadores, ocorrida neste sábado (13), indicam que as restrições em vigor nas últimas semanas reduziram a movimentação de pessoas no Brasil, na ordem de 32% durante os dias úteis e 50% no sábado e domingo.

Wellington Dias disse que o decreto “é mais uma tentativa de reduzir transmissibilidade em um momento que várias regiões de saúde estão com alta ocupação. Seguimos no esforço para ampliar leitos, mas a colaboração da população é fundamental”.

A rede de saúde do Piauí vive um momento de alta taxa de ocupação de leitos hospitalares, por causa do crescimento no número de casos de novo coronavírus. Para evitar maior pressão sobre o sistema, o governo suspendeu as cirurgias eletivas por 14 dias.

 

Deixe uma resposta