CRM pede suspensão dos serviços não essenciais por 14 dias no Piauí

As entidades dos enfermeiros e fisioterapeutas, além dos médicos e da OAB-PI, lançaram nota conjunta de alerta à população.

O Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI) e outras entidades de profissionais da área de saúde, além da Ordem dos Advogados do Brasil – seccional do Piauí (OAB-PI), divulgaram hoje (12) uma nota conjunta na qual defendem medidas restritivas mais severas “por no mínimo 14 dias”, para conter o avanço da covid-19 no estado.

A “Nota conjunta de alerta à sociedade piauiense e aos gestores de saúde” afirma que a situação é “extremamente preocupante” em decorrência da “grande quantidade de casos e de óbitos causados pela covid-19”, desde o início de janeiro de 2021.

Os conselhos regionais de medicina, enfermagem e fisioterapia recomendam o distanciamento social ampliado, com o funcionamento apenas dos setores de alimentação, farmácia e serviços de saúde, como forma de evitar o contágio pelo coronavírus, principalmente com as novas cepas, que são mais agressivas.

As entidades também pedem maior fiscalização do cumprimento das medidas. Atualmente o Piauí está em regime de toque de recolher, entre outras restrições.

Para explicar o posicionamento, os profissionais informam, na nota, que 100% dos leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) estão ocupados, com uma lista de 100 pessoas à espera por vagas. “Há escassez de insumos e medicamentos no mercado”, diz o texto.

A nota alerta para a necessidade da “colaboração do poder público e da população em geral para agirmos de forma mais eficaz e rápida possível em favor da vida de todos e para reduzir a dramática pressão por atendimento hospitalar”.

Os profissionais recomendam o uso de máscara e higienização das mãos como parte do combate à doença. Isso porque, até o momento, somente 3,29% dos piauienses foram imunizados.

O texto é assinado pelo Conselho Regional de Medicina do Piauí (CRM-PI), Conselho Regional de Enfermagem do Piauí (Coren-PI) e o Conselho Regional de Fisioterapia e Terapia Ocupacional (Crefito-14), além da OAB-PI.

Confira a nota das entidades de saúde

 

Deixe uma resposta