Piauí registra 11 mortes e 222 casos de Covid em 24 horas

O estado agora soma 151.619 casos de novo coronavírus, com 2.961 vidas perdidas. No Brasil, são quase 210 mil mortos.

O Piauí confirmou 222 casos e 11 óbitos por Covid-19 entre ontem e hoje (17), segundo os dados divulgados pela Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi), na noite deste domingo (17). O estado agora soma 151.619 casos da doença, com 2.961 vidas perdidas.

Sete homens e quatro mulheres foram vítimas da Covid-19 nas últimas 24 horas. Os óbitos ocorreram em Teresina (3), Parnaíba (2), Capitão de Campos, Demerval Lobão, Pimenteiras, Brejo do Piauí, Capitão Gervásio Oliveira e Jaicós.

Teresina e Parnaíba são as cidades mais afetadas pela pandemia, com respectivamente, 1.257 e 146 mortes, de acordo com o balanço diário da Sesapi.

O levantamento do governo mostra que os homens são maioria entre os mortos por Covid-19: 1.737 contra 1.224 mulheres.

No momento, 465 leitos da rede de saúde do Piauí estão ocupados por pacientes infectados pelo novo coronavírus. Destes, 166 se encontram na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Até agora, mais de 148 se recuperaram da doença.

Números do Brasil

As mortes pelo novo coronavírus ao longo da pandemia no Brasil aproximam-se da marca de 210 mil. Nas últimas 24 horas, as autoridades de saúde notificaram 551 novos óbitos, totalizando 209.847. Ontem (16), o painel de informações marcava 209.296 mortes acumuladas.

Ainda de acordo com a atualização do Ministério da Saúde, os casos de Covid-19 totalizam 8.488.809. Nas últimas 24 horas, foram registrados 33.040 novos diagnósticos. Ontem, o painel de estatísticas marcava 8.455.059 casos acumulados.

O balanço apontou também 866.598 pacientes em acompanhamento. Outros 7.411.654 já se recuperaram da doença.

Os estados com mais mortes são São Paulo (49.945), Rio de Janeiro (27.791), Minas Gerais (13.465), Ceará (10.223) e Pernambuco (10.020).

As unidades da federação com menos óbitos são Roraima (811), Acre (836), Amapá (996), Tocantins (1.313) e Rondônia (2.005).

Da Redação e Agência Brasil

 

Deixe uma resposta