FMC estuda prorrogação de datas dos projetos da Lei Aldir Blanc

O presidente da FMC disse que até sexta-feira (15) terá uma definição a respeito dos prazos.

A Fundação Monsenhor Chaves (FMC), da Prefeitura de Teresina, estuda alternativas para prolongar o prazo para a realização dos projetos aprovados através da Lei Aldir Blanc, que garante auxílio emergencial para os artistas prejudicados pela pandemia da Covid-19.

De acordo com a FMC, foram aprovados na capital 188 projetos, sendo que alguns deles preveem aglomeração de pessoas, fato que entra em discordância com as recomendações dos órgãos mundiais de saúde.

Segundo Scheyvan Lima, presidente da Fundação Monsenhor Chaves, o edital da Lei Aldir Blanc exige que os projetos sejam executados até 31 de março de 2021, e isso pode contribuir com os aumentos de casos do novo coronavírus.

“Demos o pontapé inicial para buscar uma solução para esta problemática, entendemos que assim como Carnaval, eventos custeados com recursos públicos sejam adiados até que parte da população seja vacinada”, afirmou.

O presidente da entidade disse que até sexta-feira (15) terá uma definição.

Sobre a lei

Dividida em duas linhas, o edital do programa financiado pelo Governo Federal destinou mais de R$ 6,5 milhões para os trabalhadores e as trabalhadoras da cultura, iniciativas e espaços culturais de Teresina. Dos 188 projetos aprovados, apenas 19 propostas ainda não receberam os recursos, os mesmos deverão ser repassados nos próximos dias.

Com informações da Semcom

 

Deixe uma resposta