Prefeitos fecham academias no interior

Na coluna de hoje, o professor Demóstenes Ribeiro dá o seu posicionamento e defende o funcionamento destes locais na pandemia.

Primeiro, é importante lembrar que a lei federal 8080/90 reconheceu o trabalho do Professor de Educação Física como parte da saúde, ou seja, é uma atuação que impacta tanto na prevenção quanto tratamento de uma série de enfermidades.

No momento tão conturbado que estamos vivendo, por conta da pandemia, torna-se necessário que mais do que nunca voltemos a atenção para nossa saúde.

O que será determinante se você terá sucesso num eventual embate com o COVID 19 é a condição de seu sistema imunológico. Caso esteja bem, certamente não terá problemas. Mas se as sua defesas naturais não estiverem bem, a condição de adoecimento pode complicar.

Desta forma, os serviços prestados pelas academias são fundamentais nesse processo, pois com a melhoria do condicionamento físico global estaremos nos prevenindo de uma série de doenças, inclusive a COVID 19.

Infelizmente alguns gestores municipais (Lagoinha e Guadalupe) estão fechando as academias de suas cidades, como medida de combater a pandemia.

Pesquisas já comprovaram o baixo risco de infecção em academias, os protocolos seguidos pelas academias (inclusive academias de interior) são uns dos mais rigorosos, nas ACADEMIAS previne-se e trata-se doenças, então por que fechar as academias?

 


DEMÓSTENES RIBEIRO é professor de Educação Física formado pela Universidade Federal do Piauí (UFPI), com pós-graduação em Gerontologia (UFPI), pós-graduação em Treinamento Desportivo e Fisiologia pela Faculdade Gama Filho (RJ), pós-graduação em Aspectos da Medicina Esportiva pela Unopar (PR). Com mais de 30 anos de experiência, Demóstenes é um dos profissionais com mais experiência na área.


 

Deixe uma resposta