A irresponsável campanha eleitoral de 2020

Aglomerações, abraços, aperto de mão, tudo isso faz parte das reuniões políticas em tempos de pandemia da Covid-19. Falta sensatez.
EDNALDO CÍCERO FREITAS
jornalista
redacao@edcicero.com.br

A saúde da população pouco importa. Pelo menos é essa impressão que temos diante das imagens de aglomerações promovidas por políticos na campanha eleitoral.

Muita gente nas passeatas, carretas, comícios e reuniões políticas. E se vê abraços, apertos de mão, algumas pessoas com máscaras, outras não.

Antes do início da campanha, as autoridades sanitárias e a própria Justiça Eleitoral estabeleceram um protocolo de segurança contra a Covid-19, que é desrespeitado.

Distanciamento entre as pessoas, muita higiene e uso de máscaras são regras básicas para evitar a disseminação do novo coronavírus.

Como resultado do não cumprimento das normas, houve um aumento no número de casos de infectados pelo vírus no Piauí. Por isso, algumas cidades suspenderam os eventos da campanha.

Em Teresina, a movimentação dos candidatos será fiscalizada com mais rigor. Não seria melhor seguir o exemplo do interior?

Uma coisa é certa: foi um erro não transferir as eleições municipais para 2021. A simples mudança de data, mas mantendo a votação neste ano, foi um mero jogo de cena.

O pior de tudo, neste cenário de irresponsabilidade, é a presença de políticos, antes defensores ferrenhos da quarentena, em aglomerações.

Eles atuam em defesa dos seus candidatos ou da própria candidatura. O poder em primeiro lugar.

Aliás, saúde pública só mesmo nos discursos.

 

One thought on “A irresponsável campanha eleitoral de 2020

  • 18 de outubro de 2020 em 12:58
    Permalink

    Você tem razão nobre amigo. Mandar as escolas reabrir nunca..

    Resposta

Deixe uma resposta