Instituições se unem para combater queimadas no Piauí

A apresentação do Projeto Queimadas será nesta terça-feira (6), no Centro de Educação Ambiental (CEA), em Teresina, às 18h30.

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semar) lançará nesta terça-feira (6) a Operação Queimadas. Trata-se de um projeto criado para enfrentar os efeitos das queimadas nos ecossistemas piauienses. O evento será às18h30, no Centro de Educação Ambiental (CEA). A operação consiste em unir esforços com entidades de diversas competências para combater o problema.

A operação seguirá um plano de ação integrado na prevenção, controle e combate a queimadas no estado, mas também de aptidão dos municípios para conhecimento de medidas preventivas e combativas eficientes.

A Operação Queimadas prevê a realização de acordos de cooperação técnica com os municípios das regiões mais atingidas, incluindo a capacitação e composição de brigadas e ações de fiscalização ambiental.

“O monitoramento realizado pela fiscalização ambiental é fundamental para o sucesso da operação, já que essas ações de fiscalização podem englobar atividades preventivas, de controle ou repressivas”, disse a secretária do Meio Ambiente, Sádia Castro.

Segundo a secretária, na região do cerrado, “grande parte dos incêndios é provocada por caçadores que ateiam fogo na vegetação para afugentar a caça ou para favorecer o abate. A fiscalização visa coibir essa prática ilegal”.

Os acordos de cooperação técnica envolvem, inicialmente, os municípios de Floriano, Jerumenha, Landri Sales, Porto Alegre, Guadalupe, Antônio Almeida, Sebastião Leal, Bertolínia, Canavieira, São Miguel do Tapuio, Pimenteiras, Curimatá, Buriti dos Montes, Domingos Mourão, São João do Piauí, João Costa, Redenção do Gurguéia, São Raimundo Nonato e Tamboril do Piauí.

Para esses municípios, localizados na zona de maior risco, está prevista ainda uma capacitação realizada pela Semar para que eles componham suas próprias brigadas. A formação dos brigadistas envolve duas etapas de seleção, uma de testes físicos e de uso de ferramentas usadas em combate, e o curso de formação de 40 horas. O curso é todo baseado na grade curricular padrão do Prevfogo/Ibama, utilizado em todo o território nacional.

Outro ponto importante para a Semar é a preservação das unidades de conservação (UCs). A APA do Rangel, nos limites de Redenção e Curimatá e a Estação Ecológica Serra Branca, na região da São Raimundo Nonato, são exemplo de UCs localizadas em área de risco de queimadas, sobretudo no segundo semestre, por causa da alta temperatura.

A operação contará com a participação da Polícia Militar Ambiental, Corpo de Bombeiros, Polícia Rodoviária Federal, Pastoral da Terra, Ibama, Defesa Civil e prefeituras de municípios localizados em área de maior risco de queimadas, entre outros órgãos.

Com informações da CCom

 

Deixe uma resposta