Dia das Crianças: comércio prevê alta nas vendas

A data é comemorada em 12 de outubro é a terceira em volume de negócios para o setor varejista.

Apesar da pandemia, o comércio de Teresina prevê um bom faturamento com o Dia das Crianças, comemorado em 12 de outubro. Para o Sindicato dos Lojistas do Comércio do Estado do Piauí (Sindilojas-PI), o momento é de retomada da economia, com um crescimento gradual nas vendas.

A Associação Brasileira dos Fabricantes de Brinquedos (Abrinq) acredita em um crescimento de 3% nas vendas no país. Os brinquedos estão entre os produtos mais procurados na data, a terceira maior em volume de negócios no ano, perdendo apenas para o Natal e Dia das Mães.

O vice-presidente do Sindilojas-PI, Leonardo Viana, disse que a “expectativa é que com o Dia das Crianças possamos melhorar ainda mais as vendas do setor varejista. Para isso, os lojistas estão preparando os estoques de produtos e descontos com o objetivo de atrair a atenção dos consumidores”.

Em 2019, de acordo com a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL), o comércio vendeu R$ 10 bilhões no país na data. Porém, com as dificuldades financeiras impostas pela pandemia do novo coronavírus, a tendência é que o valor em 2020 seja inferior ao registrado no mesmo período do ano passado.

Para garantir segurança aos clientes, o comércio está adotando as medidas exigidas pelas autoridades sanitárias, como a disponibilização de álcool em gel, marcação do chão para manter o distanciamento necessário e limpeza das superfícies.

“Tudo pensado para que os consumidores possam adquirir o presente da criançada. Com isso, os presentes mais procurados para a data devem ser os eletrônicos, games, brinquedos, roupas e calçados”, disse Leonardo Viana.

O comércio reabriu no final de julho e passou por várias etapas, até chegar ao momento atual, com as lojas funcionando de segunda a sábado, no Centro de Teresina, e também aos domingos, nos shoppings centers.

O setor passou cinco meses sem funcionar, por causa das medidas de isolamento social para conter a disseminação do novo coronavírus.

 

Deixe uma resposta