Piauí tem 15 óbitos e 859 casos de Covid-19 em 24 horas

O estado acumula 96.086 diagnósticos positivos de coronavírus, com o total de 2.122 vidas perdidas em 172 municípios.

O Piauí voltou a registrar aumento no número diário de mortes por Covid-19. Nas últimas 24 horas, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi) confirmou 859 casos e 15 óbitos pelo novo coronavírus, segundo o boletim divulgado na noite de hoje (29).

O estado acumula 96.086 diagnósticos positivos de coronavírus, com o total de 2.122 vidas perdidas em 172 municípios. A doença está presente nas 224 cidades piauienses.

Oito homens e sete mulheres não resistiram às complicações da Covid-19 em Teresina (8 vítimas), Barro Duro, Cajueiro da Praia, Canto do Buriti, Matias Olímpio, Redenção do Gurguéia, Lagoinha do Piauí e Valença – um caso cada.

Teresina soma o maior número de infectados e mortos pela doença. São 32.080 notificações com 1.011 perdas, de acordo com o levantamento da Sesapi. Em segundo, aparece Parnaíba, no litoral, com 6.860 contaminados e 135 óbitos.

Atualmente, 506 dos leitos da rede de tratamento de pacientes com a Covid-19 estão ocupados, sendo 208 na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). As altas acumuladas somam 4.605 liberações até hoje.

Covid no Brasil

O boletim diário do Ministério da Saúde, divulgado nesta terça-feira (29), revela que o Brasil registrou 4.777.522 casos confirmados do novo coronavírus desde o início da pandemia.

Desse total, 2,9% dos casos resultaram em morte (142.921); 10,5% dos pacientes estão em tratamento (499.513); e 86,6% dos brasileiros que contraíram Covid-19 estão recuperados (4.134.088).

Nas últimas 24 horas, foram registrados 863 óbitos e 32.058 novos casos confirmados. Os casos são menores aos domingos e segundas-feiras pelas limitações de alimentação da base de dados pelas equipes das secretarias de saúde. Já às terças-feiras, o número tem sido maior pelo envio dos dados acumulados do fim de semana.

As autoridades de saúde ainda investigam se outras 2.501 mortes foram provocadas por coronavírus.

Da Redação e Agência Brasil

 

Deixe uma resposta