Pesquisa aponta queda de 18% nos casos de Covid-19 em Teresina

O prefeito Firmino Filho apresentou os dados da Pesquisa de Investigação Sorológica realizada na capital.
Prefeito Firmino Filho durante entrevista online, nesta quinta-feira (Foto: Divulgação)

O número de pessoas com a Covid-19 em Teresina caiu 18,09%. Na Pesquisa de Investigação Sorológica (20ª etapa) realizada no período entre 18 e 20 de setembro foram identificadas 126.873 pessoas com o vírus. No levantamento da semana anterior (19ª fase), eram 154.721 infectados.

Os dados foram apresentados na manhã desta quinta-feira (24) pelo prefeito Firmino Filho, por videoconferência. De acordo com a sondagem, a taxa de transmissão do vírus continua a flutuar próxima ao valor 1.

“O R0, que indica o índice de contágio da Covid-19, é um dado estimativo, então ele oscila naturalmente. Fazendo o cálculo matemático dos resultados observados no inquérito sorológico, tivemos o R0 de aproximadamente 1,09. Já a partir do comportamento da curva de notificações das semanas epidemiológicas, o R0 ficou em 0,97”, explicou o prefeito.

A cidade tem atualmente 24.994 pessoas com infecção recente, o que significa que estão com o vírus ativo e na fase de transmissão. Já quanto à infecção remota, que representa o número de imunes, a quantidade foi de 51.891.

A quantidade de pessoas com o vírus identificada na sondagem é quatro vezes maior que os 28.332 casos confirmados oficialmente pelo Centro de Operações de Emergência (COE) da Fundação Municipal de Saúde (FMS) no momento da coleta dos dados.

A Covid-19 em Teresina

A zona Norte, de acordo com a pesquisa contratada pela Prefeitura de Teresina, apresenta o maior volume de pessoas com a doença: 33%. Em seguida, vêm as regiões Sul, com 30% dos casos de novo coronavírus, Leste (19%) e Sudeste (17%).

A Covid-19 por faixa etária

A faixa etária mais afetada pela doença é a de 25 e 34 anos, com 23% dos registros. Na sequência, aparecem os grupos de 15 a 24 anos (20%), de 0 a 14 anos (17%), de 35 e 44 anos (16%); 45 e 54 anos (11%) e 55 e 69 anos (10%). As pessoas com idade acima de 70 anos são 2% dos casos positivos.

Durante a videoconferência, o prefeito também apresentou dados relativos à assistência médica na rede de saúde da capital. Com relação aos atendimentos a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), houve um crescimento de 23,5% se comparadas as médias móveis da etapa atual com a de 14 dias atrás.

“Já vimos esse aumento antes. Observando o gráfico desse processo de queda nos atendimentos às síndromes gripais graves, podemos ver que tem altos e baixos. Mas é um dado que precisamos monitorar ao longo das próximas semanas, verificar com atenção se esse aumento é contínuo ou não,” destacou o gestor.

Ocupação de leitos

Segundo o levantamento, as taxas de ocupação dos leitos Covid seguem abaixo de 70%. “Mesmo com a desativação de muitos leitos Covid, ainda temos uma folga no sistema de saúde. As taxas de ocupação apresentaram um pequeno crescimento nesta etapa, mas isso se deve ao fato de estarmos desativando muitos desses leito”, comentou Firmino.

O Painel Covid-19 também confirma uma redução no número de atendimentos por síndromes gripais e óbitos decorrentes da doença. “A queda nos números de morte registradas continua de forma consistente. Já chegamos a ter uma média de 15 por dia, mas nossa média atual é de cerca de três óbitos diários”, afirmou.

Firmino Filho disse que a Prefeitura “vai continuar monitorando para verificar se esses dados se deterioram e, a partir daí, decidiremos nossos próximos passos, como temos feito desde o início. Mas esses resultados mostram que, até o momento, temos feito nossa retomada da melhor forma possível”.

Com informações da Semcom

 

Deixe uma resposta