163 empresas do Piauí aderem ao selo de turismo seguro

O objetivo é auxiliar o setor de turismo de todo o país na retomada das atividades no combate ao coronavírus.
Praia de Barra Grande, Cajueiro da Praia (Foto: Edcícero)

No Piauí, 163 prestadores de serviços turísticos já solicitaram a emissão do selo Turismo Responsável – Limpo e Seguro. A iniciativa lançada pelo Ministério do Turismo tem como objetivo auxiliar que o setor de turismo brasileiro nessa retomada das atividades, atenda aos pré-requisitos do novo perfil de turista que surgiu com a pandemia do novo coronavírus.

Segundo dados emitidos pelo MTur, o segmento com maior número de solicitação no Estado são os Meios de Hospedagem (48), seguido das Agências de Turismo (38), Transportadora Turística (34), Restaurante, Cafeteria (17), Guia de Turismo (22), Locadora de Veículos (2), Organizadora de eventos (1) e prestadores de serviços (1).

O secretário estadual do Turismo, Flávio Nogueira Júnior, destaca as cidades com a maior procura pelo selo. “Temos com esse momento, um turista mais preocupado, mais atento e o Selo traz mais segurança para as empresas”, disse.

As cinco cidades com maior procura pela identificação são Teresina, Cajueiro da Praia, Parnaíba, Luís Correia e São Raimundo Nonato, disse Nogueira Júnior.

Em todo o Brasil, já foram solicitados cerca de 22 mil selos. Os segmentos com maior número de solicitações do selo são: agências de turismo (6.771), meios de hospedagem (5.098) e guias de turismo (2.972).

Para auxiliar os empreendimentos sobre as medidas recomendadas para a reabertura, o Ministério do Turismo publicou os protocolos sanitários recomendados para 15 atividades turísticas que fazem parte do Cadastro de Prestadores de Serviços Turísticos (Cadastur), além de um conjunto de orientações também para os turistas.

“A grande adesão do setor ao Selo mostra que estamos no caminho certo para o início da retomada do turismo brasileiro, tão afetado por esta pandemia. Estamos entre os dez primeiros países em todo o mundo que tiveram essa preocupação em apresentar esse selo que atenderá aos anseios do setor e dos turistas, que estarão mais atentos aos protocolos de biossegurança”, finaliza o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio.

CCom

 

Deixe uma resposta