Teresina tem 1º dia sem morte por Covid em quatro meses

O estado soma 86.538 casos oficiais da Covid-19, doença provocada pelo novo coronavírus. São 1.973 óbitos por conta da pandemia.

Teresina não registrou mortes por Covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, neste domingo (13). É a primeira vez que isso acontece desde o dia 14 de maio, ou seja, há quatro meses.

A informação é da Secretaria Estadual da Saúde (Sesapi), que nas últimas 24 horas confirmou seis óbitos em decorrência de infecções relacionadas ao vírus.

As vítimas eram de Barras, Esperantina, Nossa Senhora de Nazaré, Paulista, Picos e Oeiras, de acordo com o boletim diário.

Total de mortes e casos de Covid no Piauí

O Piauí registrou, de ontem para hoje, 142 casos do novo coronavírus. Agora o estado soma 86.538 pessoas diagnósticas com a Covid-19, além de 1.973 vidas perdidas.

Teresina é a cidade mais afetada pelo coronavírus, com 28.332 contaminados e 958 mortes, é a cidade mais afetadas pela doença.

Em seguida vêm Parnaíba, com 6.454 confirmações e 134 vítimas; e Picos, 3.085 testes positivos e 59 falecimentos.

Dos leitos existentes na rede de saúde do Piauí para atendimento aos pacientes acometidos pela doença, 500 estão ocupados, sendo 303 leitos clínicos, 194 UTIs e 3 na ala de estabilização. As altas acumuladas somam 4.049 até este domingo.

Covid-19 no Brasil

O Ministério da Saúde informou hoje que foram registrados 14.768 novas infecções de Covid-19 nas últimas 24 horas, totalizando 4.330.455 casos desde o início da pandemia. Deste total, 3.573.958 são de recuperados.

O número atualizado de óbitos por causa da doença agora é de 131.625, sendo que 415 mortes foram notificadas entre ontem (12) e hoje

São Paulo é o estado brasileiro com o maior número de mortes (32.606), seguido por Rio de Janeiro (16.990), Ceará (8.686), Pernambuco (7.874) e Pará (6.344).

Já Roraima é tem o menor número de óbitos em decorrência do novo coronavírus (610). Em seguida estão Acre (640), Amapá (678), Tocantins (806) e Mato Grosso do Sul (1.065).

Da Redação e Agência Brasil

 

Deixe uma resposta